Não há País que se desenvolva sem estímulo ao investimento e à exportação, diz Haddad

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, defendeu nesta terça-feira, 23, a agenda de desoneração de investimentos e exportações no País, refletida na prorrogação até 2028 do Regime Tributário para Incentivo à Modernização e à Ampliação da Estrutura Portuária (Reporto). Em evento para "celebrar" a continuidade do Reporto, Haddad afirmou que a política carrega dois pilares da reforma tributária recém-aprovada pelo Congresso, justamente por prever a redução de tributos em investimentos e exportações.

"Não existe País que se desenvolva sem estímulo ao investimento e a exportação. Brasil não pode se isolar, tivemos recorde comercial de quase US$ 100 bilhões, e não existe país que se desenvolva sem investimento. E sem investimento, ele não vai voltar, porque está em patamares muito aquém", disse o ministro no evento, que contou com a presença também dos ministros dos Transportes, Renan Filho, e de Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho, além de representantes do setor privado.

O ministro da Fazenda ainda repetiu que o tripé da nova matriz de desenvolvimento do País é o crescimento baseado na sustentabilidade fiscal, social e ambiental.

"Vamos gerar emprego de qualidade, respeitar meio ambiente, tem que garantir desenvolvimento econômico. Isso está consignado aqui nesse ato (...) A melhoria em malha portuária e ferroviária é estímulo para mais investimentos", comentou Haddad.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes