Confiança do empresário industrial recua em fevereiro, mas otimismo se mantém, afirma CNI

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) recuou em fevereiro. De acordo com pesquisa divulgada nesta segunda-feira, 19, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), o indicador ficou em 52,7 pontos, uma queda de 0,5 ponto em relação ao mês anterior. A queda interrompe uma sequência de dois meses de alta, mas não reverte o cenário de confiança e a indústria se mantém otimista em fevereiro. O índice varia de zero a 100 pontos, sendo que valores acima de 50 pontos indicam confiança.

O ICEI, no entanto, está abaixo da média histórica, de 54 pontos, mas 2,1 pontos acima do indicador de fevereiro do ano passado, quando o índice ficou em 50,6 pontos. "O início de 2023 foi um período de baixa confiança do empresário e até falta de confiança em alguns meses. Este ano começa com confiança maior, mas ainda moderada", explica o gerente de Análise Econômica da CNI, Marcelo Azevedo.

A pesquisa mostra que a queda de confiança de fevereiro foi disseminada entre os todos os componentes do ICEI. O índice de confiança em relação às condições atuais recuou 0,6 ponto, para 47,7 pontos. "Ao permanecer abaixo da linha divisória de 50 pontos, ele indica percepção de piora das condições atuais em relação aos últimos seis meses tanto da economia quanto da própria empresa", destaca a CNI.

O índice de expectativas caiu 0,5 ponto, para 55,2 pontos. Como ficou acima dos 50 pontos, o indicador permanece em patamar de otimismo em relação aos próximos seis meses. Apesar da média positiva, o subcomponente que registra a expectativa em relação aos próximos seis meses da economia brasileira caiu de 50,1 pontos para 48,8 pontos, indicando pessimismo dos empresários.

Para a pesquisa, foram ouvidas 1.347 empresas no período de 1º a 7 de fevereiro.