Emprego e produção industrial caem em janeiro, mas CNI capta queda dos estoques em sondagem

A produção e o emprego industrial recuaram em janeiro. É o que mostra a pesquisa Sondagem Industrial, divulgada nesta quinta-feira, 22, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O indicador que mede a evolução da produção atingiu 48,4 pontos no mês. O resultado abaixo da linha dos 50 pontos indica redução da produção frente ao registrado em dezembro de 2023. O índice varia de zero a 100 pontos.

O indicador que mede a evolução do número de empregados no setor atingiu 49,4 pontos em janeiro, representando uma retração no emprego no setor frente ao registrado em dezembro do ano passado.

Embora sinalize recuo, destaca a CNI, os indicadores se aproximaram da linha dos 50 pontos e a queda foi mais branda que a observada em dezembro de 2023.

O índice de evolução da produção, segundo a pesquisa, se encontra 2,1 pontos acima da média dos meses de janeiro da série. O indicador também tem resultados heterogêneos entre as indústrias de diferentes portes. Para empresas de grande porte, o índice ficou em 51 pontos, indicando alta da produção.

O mesmo ocorreu com o emprego industrial. O recuo mais brando deixou o resultado do mês de janeiro 1,5 ponto acima da média histórica dos meses de janeiro da série.

Enquanto isso, a pesquisa mostrou queda dos estoques da indústria em janeiro em relação a dezembro de 2023. Esse foi o terceiro recuo consecutivo do indicador e, segundo a CNI, no mês passado, foi mais intenso do que é considerado normal para o período. O índice ficou em 48,6 pontos e está 0,6 ponto abaixo da média histórica dos meses de janeiro.

"Essa sequência de quedas dos estoques permitiu a eliminação de um excesso de estoques indesejáveis que limitam a atividade industrial. Com os estoques abaixo do nível planejado, percebe-se que a demanda foi um pouco acima do esperado pelos empresários. Além disso, eventuais novos aumentos da demanda irão se traduzir em aumento da produção, da atividade da indústria de transformação, que terminou 2023 com queda", afirma o gerente de Análise Econômica da CNI, Marcelo Azevedo.

A Utilização da Capacidade Instalada (UCI) chegou a 68% em janeiro, um avanço de um ponto porcentual em relação a dezembro do ano passado. Segundo a pesquisa, a UCI também está um ponto porcentual acima da média do período.

Expectativas

De acordo com a Sondagem, os indicadores de expectativas também mostram otimismo sobre emprego e exportação em fevereiro. "Os empresários industriais demonstram expectativas mais otimistas em fevereiro do que o usual sobre quantidades exportadas, compra de matérias-primas e número de empregados", destaca a CNI.

O índice de intenção de investimento registrou avanço pelo quarto período consecutivo, em fevereiro, e se encontra em patamar mais elevado que a média histórica do indicador, aponta a Sondagem. O indicador ficou em 57,7 pontos em fevereiro, uma alta de 0,5 ponto em relação a janeiro.

De janeiro para fevereiro, apenas o indicador de expectativas sobre quantidade exportadas apresentou retração, atingindo 56,1 pontos. Mas como está acima dos 50 pontos, sinaliza otimismo.

O índice de expectativa de compra de matérias-primas atingiu 55,2 pontos, ficando 0,3 ponto acima da média dos meses de fevereiro. Já o indicador de expectativa sobre o número de empregados chegou a 52,4 pontos, um avanço de 1,0 ponto em relação a janeiro.

A Sondagem Industrial foi feita no período de 1º a 16 de fevereiro, com 1.714 empresas, sendo 688 pequenas, 622 médias e 424 grandes.