INCC-M desacelera a 0,20% em fevereiro após alta de 0,23% em janeiro, afirma FGV

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC-M) desacelerou a 0,20% em fevereiro, após registrar alta de 0,23% em janeiro, informou nesta segunda-feira, 26, a Fundação Getulio Vargas (FGV). Com o resultado, o indicador acumula alta de 3,23% em 12 meses.

Houve, em fevereiro, arrefecimento de Mão de Obra (0,42% para 0,16%) e aceleração em Materiais, Equipamentos e Serviços (0,10% para 0,23%).

As aberturas mostraram avanço de Materiais e Equipamentos (0,09% para 0,20%), com destaque para o subgrupo materiais para instalação (0,02% para 0,42%). Também houve avanço nos Serviços (0,20% para 0,49%), puxado pelo item projetos (0,18% para 0,69%).

Influências

As principais pressões para baixo sobre o INCC-M de fevereiro partiram de vergalhões e arames de aço ao carbono (-0,23% para -0,62%); massa de concreto (0,23% para -0,34%); bloco cerâmico (-0,29% para -0,88%); conta de energia (0,03% para -0,83%) e placas cerâmicas para revestimento (-0,33% para -0,18%).

Por outro lado, as maiores influências positivas vieram de blocos de concreto (0,21% para 1,18%); condutores elétricos (3,42% para 2,31%); projetos (0,18% para 0,69%); esquadrias de alumínio (0,03% para 0,82%) e cimento Portland comum (0,76% para 0,86%).