Dólar recua com dado fiscal interno melhor e expectativas por BCE

O dólar opera em queda ante o real na manhã desta quinta-feira, 7, alinhado à tendência externa da divisa americana em meio a uma relativa estabilidade dos rendimentos curtos dos Treasuries e viés de baixa nos longos. Investidores ajustam posições após deflação do IGP-DI em fevereiro maior que a esperada e de dados fiscais acima das expectativas.

O setor público consolidado registrou superávit primário de R$ 102,146 bi em janeiro, maior que a mediana de R$ 98,3 bi e perto do teto das projeções (intervalo R$ 78,8 bi a R$ 105,3 bi).

O IGP-DI de fevereiro trouxe uma deflação de 0,41%, maior que a mediana esperada no mercado (de 0,37%). Com o resultado, o IGP-DI acumulou uma redução de 0,67% no ano. Em 12 meses, houve recuo acumulado de 4,04%. Ainda nesta quinta é aguardado o diretor de Política Econômica do Banco Central, Diogo Guillen, em evento do Goldman Sachs (11h30).

Os ativos financeiros têm ajustes estreitos por enquanto, dada a espera pela decisão de juros do Banco Central Europeu (BCE) (10h15), a entrevista com sua presidente, Christine Lagarde (10h45), além da volta do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Jerome Powell, ao Congresso para audiência no Senado (12h).

Para o BCE, os analistas projetam manutenção nos juros e esperam que Christine Lagarde dê pistas mais claras sobre as condições para o início do afrouxamento monetário, e possivelmente reconhecerá que houve debates sobre quando acontecerá o primeiro corte.

Os retornos dos Treasuries sustentam baixa na ponta longa, diante de problemas no setor imobiliário comercial nos EUA e após sinalização de Powell de que deve esperar mais evidências sobre a desinflação americana para começar o corte de juros neste ano nos EUA. O mercado mantém aposta majoritária em início da flexibilização em junho no país.

Também estão na mira nos mercados os dados americanos sobre auxílio-desemprego semanal, balança comercial em janeiro e custo unitário de mão de obra no 4º trimestre (todos às 10h30), além de crédito ao consumidor (17h). E a dirigente de Cleveland, Loretta Mester, participa de evento (13h30).

Às 9h30 desta quinta, o dólar à vista caía 0,10%, a R$ 4,9406. O dólar para abril cedia 0,14%, a R$ 4,9510.