Dólar futuro sobe a R$ 5,00 de olho em minério, Treasuries, Petrobras e fiscal

O dólar à vista opera em alta nesta segunda-feira, 11, estendendo valorização de 0,96% na sexta, e o dólar futuro de abril renova máximas acima de R$ 5,00 no mercado de câmbio. Os investidores 'recificam alta do juro curto de Treasuries, queda de 5,41% do minério de ferro em Dalian, na China e baixa do petróleo. Também seguem atentos ao noticiário sobre Petrobras, Vale e a questão fiscal do governo.

O investidor local aguarda hoje uma reunião do presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, e o presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, às 15 horas, após o tombo das ações da empresa de 10% na sexta ter repercutindo a retenção de dividendos extraordinários do 4º trimestre de 2023. Para analistas do mercado, o episódio aumenta a percepção de risco de influência do Palácio do Planalto nas principais decisões de alocação de capital da empresa.

No caso da Vale, o conselho de administração decidiu manter Eduardo Bartolomeu como CEO até dezembro de 2024.

Em relação às contas públicas, o governo quer usar os ganhos de arrecadação no começo deste ano para empurrar a discussão sobre eventual mudança na meta fiscal para o segundo semestre a fim de garantir um ambiente propício para que o Banco Central continue cortando a taxa básica de juros, a Selic, hoje em 11,25% ao ano, segundo a Folha de S.Paulo.

Com a agenda do dia vazia, a liquidez pode diminuir em meio a expectativas pela divulgação do IPCA e do índice de preços ao consumidor dos Estados Unidos, o CPI, ambos de fevereiro amanhã, além do índice de inflação ao produtor (PPI) americano, na quinta-feira.

Mais cedo, a Fundação Getúlio Vargas divulgou que o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) recuou 0,54% na primeira prévia de março, após cair 0,44% na mesma leitura de fevereiro.

Já o Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) registrou avanço em duas das sete capitais pesquisadas entre o encerramento de fevereiro e a primeira quadrissemana de março. No período, a variação do índice passou de 0,55% para 0,56%.

Às 9h55, o dólar à vista subia 0,30%, a R$ 4,9961, após máxima a R$ 4,9976 (+0,33%). O dólar para abril ganhava 0,23%, a R$ 5,003.