Corte de juro é mais provável em junho que em abril na zona do euro, diz Villeroy de Galhau

Membro do conselho do Banco Central Europeu (BCE), François Villeroy de Galhau, afirmou nesta quarta-feira, 13, que uma redução nos juros pela instituição é mais provável em junho que em abril. Durante entrevista ao canal France Info, o dirigente enfatizou o combate à inflação como prioridade neste momento e disse que o BCE segue atento para buscar sua meta de 2%, mas acrescentou que "a vitória está à vista".

Villeroy de Galhau considerou que um corte de juros na primavera local é provável, mas disse que o BCE será "muito pragmático", respondendo ao quadro e aos indicadores. A primavera europeia vai de meados de março a meados de junho, mas o dirigente, quando questionado diretamente sobre o momento exato do primeiro corte, disse que ele deve vir "talvez mais provavelmente no mês de junho".

Também presidente do Banco Central da França, Villeroy de Galhau reafirmou que, caso não ocorra surpresa, a meta de inflação em 2% deve ser batida até o ano que vem. Ele ainda disse, ao ser questionado sobre o setor imobiliário, "muito sensível aos juros", que os juros mostram maior estabilização neste momento, o que pode ajudar a melhorar o quadro nesse segmento.