Chance de corte em julho pelo Fed cresce, mas a de manutenção ainda é majoritária, revela CME

O monitoramento do CME Group mostrava uma queda na chance de manutenção dos juros pelo Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) em julho, há pouco em 51,3%, de 57,6% ontem. Ainda assim, o nível está um pouco acima da chance de 48,7% de algum corte até a decisão de 31 de julho.

O movimento ocorre após o índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) ser divulgado, com dados mistos.

A chance de corte de juros continua a ser majoritária em setembro. Para a decisão de 18 de setembro, havia 71,8% de chance de algum corte, com 28,2% de manutenção.

Nas faixas detalhadas para setembro, havia 28,2% de possibilidade de manutenção de juros, 45,7% de um corte de 25 pontos-base; 22,6% de uma redução de 50 pb; 3,5% de um corte de 75 pb; e 0,1% de uma redução de 100 pb.

Para junho, há pouco havia 79,1% de chance de manutenção, com 20,9% de corte.

Já para dezembro, o quadro visto como mais provável (34,7%) é que os juros estejam na faixa entre 4,75% e 5,00%, um corte de 50 pontos-base ante o nível atual, seguido (31,5%) pelo de que estejam entre 5,00% e 5,25%; pelo de que estejam entre 4,50% e 4,75% (18,0%) e pelo de que estejam na faixa atual, de 5,25% a 5,50% (10,8%).