IBGE prevê que safra terá queda na produção de soja, milho e sorgo; arroz e feijão terão alta

O Brasil deve colher mais arroz, feijão, algodão e trigo em 2024, mas menos soja, milho e sorgo. Os dados são do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola de março, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A produção de cereais, leguminosas e oleaginosas deve somar 298,3 milhões de toneladas em 2024, queda de 5,4% em relação a 2023, ou 17,1 milhões de toneladas a menos. Para o ano de 2024, a produção de soja deve recuar 3,3%, enquanto a de sorgo deve encolher 12,6%.

A expectativa é de uma produção de milho 11,4% inferior, devido a reduções de 13,2% no milho de 1ª safra e de 10,9% no milho de 2ª safra.

Por outro lado, são esperados aumentos, em relação ao desempenho de 2023, na produção de algodão herbáceo (8,0%), arroz (1,7%), feijão (11,1%) e trigo (28,3%).

A estimativa para a soja é que alcance uma produção de 146,9 milhões de toneladas em 2024. O milho deve somar 116,1 milhões de toneladas, sendo 24,1 milhões de toneladas de milho na 1ª safra e 92,1 milhões de toneladas de milho na 2ª safra.

A produção de arroz foi estimada em 10,5 milhões de toneladas, e a de feijão, em 3,3 milhões de toneladas. A produção de trigo alcançaria 9,9 milhões de toneladas em 2024, a do algodão herbáceo totalizaria 8,4 milhões de toneladas, e a do sorgo, 3,8 milhões de toneladas.