EUA: pesquisa mostra que riscos para bancos de empréstimos imobiliários varia substancialmente

Os investidores nos Estados Unidos têm estado recentemente atentos aos riscos do imobiliário comercial (CRE, na sigla em inglês) devido às taxas de juro mais elevadas e às mudanças na forma como os americanos trabalham. À primeira vista, estes riscos podem parecer particularmente preocupantes para os bancos pequenos e regionais, que tendem a deter grandes concentrações de empréstimos garantidos por propriedades comerciais. No entanto, segundo pesquisa do Federal Reserve (Fed) de Kansas City, os riscos de imóveis podem variar substancialmente entre tipos de propriedade e localizações geográficas, sugerindo que a exposição agregada a imóveis pode ser uma medida de risco deficiente.

Segundo o estudo, os bancos são os principais credores no mercado imobiliário, fornecendo quase US$ 3 trilhões em financiamento ao setor. Além disso, os empréstimos imobiliários podem constituir uma parte significativa da carteira total de empréstimos de um banco, especialmente em bancos pequenos e regionais. Assim, qualquer recessão no desempenho dos empréstimos garantidos por imóveis imobiliários poderia colocar desafios à viabilidade a longo prazo dos bancos expostos.

As propriedades comerciais incluem edifícios de escritórios, apartamentos, armazéns e hotéis - cada um com um conjunto diferente de riscos de calote com base na utilização comercial e nas condições econômicas locais, aponta o estudo. Por exemplo, houve um aumento nos inadimplência esperados em empréstimos a propriedades hoteleiras e de varejo durante a pandemia, quando a atividade do consumidor caiu acentuadamente. Recentemente, o aumento das taxas de juro e o aumento do trabalho remoto pesaram nas avaliações dos imóveis de escritórios e suscitaram preocupações sobre a sua rentabilidade futura. Como resultado, a inadimplência esperada em propriedades de escritórios está atualmente no nível mais alto da década, afirma a pesquisa.

Apesar de uma perspectiva econômica relativamente forte, os investidores continuam avaliando de perto os riscos que as propriedades comerciais representam para os bancos, especialmente aqueles com concentrações consideráveis de empréstimos. "Porém, examinando mais de perto, os riscos de imóveis comercial são diversos e dependem fortemente do tipo de propriedade, das características e da localização geográfica", afirma o estudo. Assim, "as medidas gerais de risco bancário podem não fornecer uma imagem completa dos riscos que os empréstimos imobiliários representam para os bancos individuais", conclui.