Saldo líquido de emprego formal é positivo em 244.315 vagas em março, revela Caged

Após a criação de 306.708 vagas em fevereiro (dado revisado nesta terça-feira, 30), o mercado de trabalho formal registrou um saldo positivo de 244.315 carteiras assinadas em março, de acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados pelo Ministério do Trabalho.

O resultado do terceiro mês de 2024 decorreu de 2.262.420 admissões e 2.018.105 demissões. Em março de 2023, houve abertura de 194.372 vagas com carteira assinada, na série ajustada. Este é o melhor resultado para o mês na série histórica do Novo Caged iniciada em 2020 (sem ajustes).

O mercado financeiro esperava um avanço no emprego no mês, e o resultado veio acima da mediana das estimativas de analistas consultados pelo Projeções Broadcast, que indicava a abertura de 190 mil postos de trabalho. O número veio dentro do intervalo de estimativas, que variavam entre 110 mil a 258.734 vagas.

No acumulado dos três primeiros meses de 2024, o saldo do Caged já é positivo em 719.033 vagas. No mesmo período do ano passado, houve criação líquida de 536.869 postos formais.

A abertura líquida de 244.315 vagas de trabalho com carteira assinada em março foi novamente puxada pelo desempenho do setor de serviços no mês, com a criação de 148.722 postos formais, seguido por comércio, que abriu 37.493 vagas.

Já a indústria gerou 35.886 vagas em março, enquanto houve um saldo de 28.666 contratações na construção civil. Por sua vez, na agropecuária houve fechamento de 6.457 vagas no mês.

No terceiro mês do ano, 25 Unidades da Federação obtiveram resultado positivo no Caged. O melhor desempenho entre os Estados foi registrado em São Paulo, com a abertura de 76.941 postos de trabalho. Já o pior desempenho foi de Alagoas, que registrou fechamento de 9.589 vagas em março.

O salário médio de admissão nos empregos com carteira assinada foi de R$ 2.081,50 em março, quase estável em relação ao valor do mês de fevereiro (R$ 2.086,75).