Em ata, alguns dirigentes do BoJ veem risco de excesso inflacionário no país no longo prazo

Alguns dirigentes do Banco do Japão (BoJ, pela sigla em inglês) veem risco de excesso inflacionário no país, embora esta não seja uma preocupação para o curto prazo, conforme afirmaram na ata da penúltima reunião de política monetária referente à decisão que elevou juros pela primeira vez em 17 anos.

Os membros destacaram também que o aperto monetário iniciado no país tem caráter muito diferente do visto na Europa e nos Estados Unidos.

No documento, um membro do conselho disse que o BoJ deveria avançar lenta mas firmemente em direção à normalização da política, tendo em vista a evolução econômica e dos preços. No curto prazo, um membro também avaliou que o impacto da elevação de juros na economia deve ser limitado.

Sobre as próximas elevações de juros, os membros destacaram que as taxas devem ser definidas pelas variações do mercado.