Indústria gaúcha pede medidas emergenciais em reunião com Marinho

A Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs) solicitou hoje ao ministro do Trabalho, Luiz Marinho, medidas emergenciais de apoio ao setor, diante dos estragos causados pela tragédia climática no Estado.

Em audiência por vídeo com Marinho, a entidade reivindicou uma reedição do programa emergencial contra demissões adotado na pandemia, quando houve apoio financeiro do governo para empregados que tiveram contratos suspensos ou salários reduzidos junto com a diminuição temporária da jornada de trabalho. O ministro, conforme a Fiergs, prometeu avaliar a reivindicação, a depender da situação do Estado nos próximos dias.

Por outro lado, houve, conforme relato da Fiergs, uma sinalização positiva de Marinho sobre a regulamentação do teletrabalho, a antecipação de férias individuais, a concessão de férias coletivas, a antecipação de feriados e a suspensão de depósitos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Colocadas pelos industriais diante da impossibilidade de as atividades prosseguirem em meio aos alagamentos, essas reivindicações, conforme indicou o ministro, devem ser atendidas em 48 horas.