Perdão dos juros sobre dívida do RS resultará em renúncia de R$ 12 bi, explica Haddad

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, explicou nesta segunda-feira, 13, que o perdão dos juros sobre os três anos que a dívida do Rio Grande do Sul com a União terá o pagamento suspenso vai resultar numa renúncia de R$ 12 bilhões - maior que o valor do fluxo de quitação que serão interrompido, de R$ 11 bilhões.

"Ao final dos 36 meses, os juros sobre o estoque de todo o período estarão sendo perdoados. Serão R$ 12 bilhões, sem prejuízo de buscarmos novas soluções", afirmou o ministro, em reunião com o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, que foi transmitida para o anúncio do projeto de lei complementar de suspensão do pagamento da dívida. O governador do RS, Eduardo Leite (PSDB), participou virtualmente.

"Deixar claro que tenho certeza de que o Congresso vai se debruçar sobre a medida; a partir da aprovação, os pagamentos estão suspensos por 36 meses, e vale lembrar, são R$ 11 bilhões de fluxo financeiro, e a renúncia de juros já anunciada inclusive supera o valor do fluxo", disse Haddad, destacando que esses valores se somam aos R$ 12 bilhões de recursos federais já anunciados na semana passada, dos quais R$ 7 bilhões são direcionados para subsídio ao crédito.