PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Por que Google, Disney e Microsoft teriam interesse no Twitter

27/09/2016 11h06

SÃO PAULO – Na semana passada, fontes disseram à imprensa norte-americana que Google e Salesforce estariam interessadas em comprar a rede social Twitter. Agora, outras duas grandes empresas também parecem estar no páreo: a Disney e a Microsoft.

A chance de venda do Twitter cresceu junto com a queda no preço de suas ações. De US$ 26 no final de 2013, elas chegaram a US$69 quando o Facebook começou a subir na bolsa, como um efeito cascata. Todavia, mais recentemente, em junho, o pássaro azul chegou a ter ações a US$ 14 - o que totalizaria o valor da companhia em US$ 12 bilhões. 

De acordo com fontes da CNBC, o interessante do ponto de vista do Google é, naturalmente, o numeroso banco de dados pessoais de clientes da rede social do passarinho – mais do que a plataforma em si. São cerca de 313 milhões de usuários ativos mensais.

Já a Disney, segundo a Bloomberg, considera a atuação em redes sociais seu “calcanhar de Aquiles”. O conglomerado de mídia já trabalha com o Bank of America no processo de oferta, disse o site de notícias. Esse acordo poderia trazer uma fonte de receita completamente nova para a detentora dos direitos de Star Wars.

No segundo trimestre de 2016, a receita do Twitter foi de US$ 601,96 milhões, ante US$ 594,52 milhões no primeiro trimestre e um pico de US$ 710,47 milhões no final de 2015, de acordo com a Statista.

Segundo o analista Paul Sweeney, da Bloomberg Intelligence, “o Twitter pode dar a eles [Disney] a chance de se comunicarem diretamente com seus clientes em um cenário cada vez mais fragmentado de mídia”.

A intenção da Salesforce, que gastou mais de US$ 4 bilhões em aquisições nos primeiros seis meses do ano, também foi uma surpresa para alguns analistas, já que sua movimentação vem em direção a consolidar-se como a maior plataforma de serviços de nuvem para empresas do mundo. 

Ao mesmo tempo, comprar o Twitter poderia significar uma gama nova de dados em tempo real, para otimizar tanto esse tipo de serviço como outros, através da inteligência de negócios e indights, de acordo com analistas do TechCrunch. Uma rede social poderia ser útil para que as próprias empresas tivessem mais base de dados a respeito de seus clientes e potenciais mercados. 

Representantes familiares com a proposta da Microsoft, por sua vez, disseram que a empresa chegou a fazer uma proposta de compra, mas que não está interessada. 

Do ponto de vista do Twitter, existe abertura dos membros do conselho no geral, segundo as fontes.