IPCA
0.11 Ago.2019
Topo

CTEEP cai mais de 1% após registrar lucro 29,8% menor; BTG rebaixa recomendação

31/07/2019 12h03

As ações da CTEEP (SA:TRPL4) registram queda de 1,35% a R$ 24,17 no final da manhã desta quarta-feira, depois da companhia anunciar que teve lucro líquido de R$ 240,3 milhões no segundo trimestre de 2019, queda de 29,8% ante igual período do ano passado. Além disso, o BTG Pactual (SA:BPAC11) alterou o preço-alvo do papel e reduziu a recomendação para Neutra.

Com base nos números apresentados, o banco reviu preço-alvo dos papéis para R$ 20,00, além do rebaixamento da recomendação de Compra para Neutra. A equipe do banco destaca que as ações já subiram 43% no ano, o que supera o Índice de Utilidades Elétricas (IEE) em quase 10p.p.

Para os analistas, uma combinação de liquidez, dividendos substanciais e geração de fluxo de caixa estável torna-se ainda mais atraentes em um ambiente de fuga para produção. Com uma queda nas taxas de juros não só no Brasil, mas também em todo o mundo, essas histórias se tornam ainda mais atraentes. No entanto, a preços correntes, agora CTEEP está negociando uma TIR real de 4%, oferecendo um desconto de menos de 100 pb para títulos do Tesouro do Brasil, o que é o motivo do rebaixamento.

Para a Mirae Asset, no geral, o resultado foi mais fraco do que o esperado, mas mantém o otimismo com o setor de transmissão e com a empresa, uma vez que espera diversas licitações ao longo do atual governo e consequentemente maior competitividade. A corretora tem visão positiva da empresa e com o seu managment e lembra que é uma excelente pagadora de dividendos. No momento a recomendação segue neutra.

O recuo dos resultados da empresa controlada pela colombiana Isa ocorreu em meio a uma piora no resultado financeiro líquido, que foi negativo em R$ 49,2 milhões, aumento de mais de 90% ante o mesmo período do ano passado.

O resultado operacional, refletido no lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação (Ebitda) ajustado, somou R$ v599 milhões no segundo trimestre, queda de 12,3% na comparação anual.

Mais Economia