PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Cielo lidera Ibov e Stone sobe mais de 4% nos EUA com possível negociação

16/09/2019 11h55

O colunista do jornal O Globo, Lauro Jardim publicou em seu blog no domingo que a Stone e a Cielo (SA:CIEL3) estariam em conversas para uma possível negociação há algumas semanas. De acordo com o jornalista, o contato se iniciou entre o Banco do Brasil (SA:BBAS3) (um dos sócios da Cielo) e a Stone. No entanto, o interesse teria esfriado momentos depois, mas mantendo as portas abertas para uma possível negociação.

A notícia foi bem recebida no mercado local de ações, com a Cielo (SA:CIEL3) liderando a sessão. Por volta das 11h53, os papéis subiam 8,12% a R$ 8,25. Já em Nova York, onde as ações da Stone (NASDAQ:STNE) são negociadas, a valorização era de 4,06% a US$ 34,19, no mesmo instante.

Saída do BB?

No começo de agosto, circularam notícias de que o Banco do Brasil (SA:BBAS3) estudava, dentro de seu programa de venda de ativos, deixar a sociedade com o Bradesco (SA:BBDC4) na Cielo (SA:CIEL3). No entanto, a notícia foi desmentida pelo presidente do banco estatal, Rubem Novaes.

No dia 1º de agosto, as ações da Cielo (SA:CIEL3) subiram mais de 15% na quinta-feira passada, após o jornal O Estado de S.Paulo publicar que o BB (SA:BBAS3) queria vender sua participação de 29% na empresa.

Banco digital

No final do mês passado, a Cielo (SA:CIEL3) anunciou o Cielo Pay, sistema para transações financeiras por meio de contas de pagamentos, num modelo similar ao de fintechs que vêm crescendo velozmente no país, como Nubank, Mercado Pago, Banco Original e Banco Inter (SA:BIDI11).

O aplicativo gratuito, que estreia em 14 de outubro, tem como principal recurso permitir que pequenos comerciantes e prestadores de serviço recebam pagamentos sem a necessidade das chamadas maquininhas de cartões.

Além disso, o Cielo (SA:CIEL3) Pay também permitirá que esses clientes façam pagamentos a terceiros. Em ambos os casos, as transações serão feitas tanto por transferência entre contas como com uso de QR Code, boletos e TEDs.

Com Reuters.