PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Preços do ouro ficam estáveis com busca de refúgios após ataques na Arábia Saudita

16/09/2019 13h04

Os preços do ouro se estabilizaram cerca de US$ 1.510 a onça na segunda-feira após os ataques às instalações de petróleo da Arábia Saudita no fim de semana desencadearem uma fuga à segurança nos mercados financeiros globais que beneficiaram quase todos os ativos dos paraísos.

Às 10h (horário de Brasília), os futuros de ouro para entrega na bolsa Comex foram cotados a US$ 1.509,85 por onça troy, um aumento de 0,8% em relação ao final de sexta-feira, embora com uma alta intradiária de US$ 1.519,65.

O ouro à vista foi cotado com alta de 0,9%, a US$ 1.501,93 por onça.

A subida do ouro ecoou a dos títulos, onde os rendimentos caíam acentuadamente em resposta aos ataques. O rendimento dos títulos do Tesouro em 30 anos, após uma forte liquidação na semana passada, caiu a oito pontos-base, para 2,30%. Os preços dos títulos movem-se inversamente para os rendimentos.

O rendimento dos títulos europeus também foram amplamente maiores, apesar de permanecerem em níveis muito mais baixos depois que o Banco Central Europeu garantiu uma oferta duradoura para eles, revivendo seu programa de flexibilização quantitativa na reunião de políticas da semana passada.

A atenção desta semana será focada no Federal Reserve, onde o Comitê Federal de Mercado Aberto realizará sua reunião regular na terça e quarta-feira. De acordo com a ferramenta de monitoramento de taxas do Fed do Investing.com, a chance de um corte de 25 pontos base na meta de fundos do Fed agora caiu para 78%, o menor em várias semanas, após dados de vendas no varejo mais fortes do que o esperado e dados de opinião do consumidor na sexta-feira, terem minado o argumento de flexibilização agressiva das políticas.

No contexto de uma política monetária global mais flexível, o ouro continua sendo uma recomendação estratégica essencial para muitos analistas. Os estrategistas de ativos cruzados do JPMorgan (NYSE:JPM) esperam um recuo modesto para US$ 1.485 até o final deste mês, mas ainda vêem o ouro subindo para mais de US$ 1.710 em junho do próximo ano.

Em outros lugares, os futuros de prata recuperaram 1,9%, para US$ 17,89 a onça, enquanto os futuros de platina caíram 0,1%, para US$ 951,20.

Os metais industriais recuaram. Os contratos futuros de cobre caíam 1,1%, a US$ 2,67 por libra, enquanto os futuros de níquel caíam 3,0%, para US$ 17.212 por tonelada.