PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Petróleo cai abaixo de US$ 59 em meio a preocupações com a previsão de demanda

16/10/2019 08h52

Os preços do petróleo caíram ainda mais abaixo do nível de US$ 59 o barril na quarta-feira, pressionados pelas preocupações contínuas sobre as perspectivas da demanda global, uma vez que os traders de energia aguardavam novos dados de estoques no lado da oferta.

O petróleo Brent, o benchmark global, foi negociado a 58,76 dólares por barril às 8h51.Os contratos futuros de petróleo bruto subiam 20 centavos, sendo negociados a US$ 53,01.

Preocupações com as perspectivas de demanda global por petróleo aumentaram depois que o Fundo Monetário Internacional disse na terça-feira que a guerra comercial EUA-China reduziria o crescimento global de 2019, o mais lento desde a crise financeira de 2008-2009.

"Os preços estão sob pressão devido ao crescente pessimismo sobre a economia global e subsequentes preocupações do lado da demanda", disse Stephen Brennock, da corretora de petróleo PVM.

Os comerciantes de energia estavam analisando os dados dos estoques no final do dia. O American Petroleum Institute divulgará seu relatório semanal às 17h30, um dia depois do normal devido ao feriado do Dia de Colombo.

A EIA publicará seu relatório semanal sobre os estoques domésticos de petróleo na quinta-feira, com analistas esperando uma oferta de 2,77 milhões de barris, depois de um aumento de 2,91 milhões de barris na semana passada.

Os preços encontraram algum apoio a partir de indicações de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo poderia anunciar mais restrições à produção de petróleo em dezembro. A OPEP e seus aliados se reúnem nos dias 5 e 6 de dezembro em Viena para revisar a política de produção.

Na terça-feira, o secretário-geral da OPEP, Mohammad Barkindo, disse que há uma opção para a OPEP e seus aliados é implementar cortes mais profundos na produção de petróleo.

Barkindo disse que a Opep faria o possível com os produtores aliados para sustentar a estabilidade do mercado de petróleo além de 2020, em um sinal de que os produtores continuarão a cooperar. A Rússia e outros produtores têm um acordo para reduzir a produção de petróleo em 1,2 milhão de barris por dia até março de 2020.

-A Reuters contribuiu para esta matéria.