PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Minério de ferro tem forte alta com avanço nas conversas entre China e EUA

25/10/2019 08h33

A jornada desta sexta-feira foi marcada por forte valorização para os preços dos contratos futuros do minério de ferro, negociados na bolsa de mercadorias da cidade chinesa de Dalian. O ativo de maior volume de negócios, com data de vencimento para janeiro do próximo ano, teve ganhos de 2,09% a 634,50 iuanes por tonelada, o que representa um avanço de 13 iuanes em relação ao valor de liquidação da véspera, que foi de 621,50 iuanes/t.

No mesmo sentido, o dia também foi de ganhos importantes para os preços dos papéis futuros do vergalhão de aço, que são transacionados na também chinesa bolsa de Xangai. O contrato mais líquido, com entrega para janeiro de 2020, avançou 40 iuanes para 3.344 iuanes por tonelada. Já o de maio do mesmo ano, segundo em volume, somou 25 iuanes para 3.210 iuanes por tonelada.

Autoridades comerciais dos Estados Unidos e da China irão discutir nesta sexta-feira planos para a China comprar mais produtos agrícolas dos EUA, mas em troca Pequim irá pedir o cancelamento de algumas tarifas norte-americanas planejadas e em vigor sobre importações chinesas, disseram à Reuters pessoas com conhecimento do assunto.

Robert Lighthizer, representante Comercial dos EUA, o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, e o vice-premiê chinês, Liu He, conversarão por telefone nesta sexta-feira, em mais uma tentativa de acalmar a guerra comercial que afeta mercados financeiros, cadeias de oferta e o crescimento econômico global.

Os dois lados estão trabalhando para tentar fechar um texto para a "fase 1" de um acordo comercial anunciado pelo presidente dos EUA, Donald Trump, em 11 de outubro, a tempo para que ele o assine junto ao presidente chinês, Xi Jinping, no próximo mês em uma cúpula no Chile.

Até agora, Trump concordou em cancelar apenas o aumento de tarifas de 15 de outubro sobre 250 bilhões de dólares em produtos chineses como parte do entendimento alcançado sobre compras agrícolas, maior acesso aos mercados de serviços financeiros da China, melhoria nas proteções de propriedade intelectual e pacto cambial.