PUBLICIDADE
IPCA
+0,25 Jan.2021
Topo

StockBeat: Europa aguarda EUA e China para alcançar seu maior nível histórico

28/11/2019 10h46

Por Geoffrey Smith

Há quatro anos e meio que o índice Euro Stoxx 600 atingia sua máxima histórica de 415,81. Nesse período, o S&P 500 dos EUA subia mais de 50%, apesar dos altos e baixos da guerra comercial com a China. O Stoxx 600 perdeu amplamente os ralis, mas sempre participa das liquidações.

Mesmo agora, aqueles que aguardam uma nova máxima histórica provavelmente terão que esperar pelo menos até o final de semana.

O índice de referência da Europa fechou a 1% de um novo recorde histórico na quarta-feira, mas caiu 0,2% para 408,92 às 07h30 (horário de Brasília) na quinta-feira, após a mais recente reviravolta nas relações entre EUA-China, que sublinhou mais uma vez o quanto os mercados europeus estão aprisionados em desdobramentos fora de seu controle.

Trump assinou a Lei de Direitos Humanos e Democracia de Hong Kong na quarta-feira, no momento em que a atenção do público dos EUA estava firmemente voltado ao Feriado de Ação de Graças. No entanto, isso não escapou à atenção de Pequim e o governo chinês reforçou a condenação de um projeto de lei que usa a ameaça de medidas comerciais para garantir que Pequim defenda a autonomia política de Hong Kong.

Pequim também prometeu contramedidas próprias, mas não tomou nenhuma ação imediata, nem deu detalhes do que está considerando.

Os dados desta semana sugeriram que os EUA estão lidando melhor com a tensão da guerra comercial do que a China: pedidos de bens duráveis, pedidos de seguro-desemprego e uma estimativa revisada para o PIB do terceiro trimestre foram todos mais fortes do que o esperado na quarta-feira, enquanto a China informou que os lucros industriais caiu 9,9% no ano - o declínio mais acentuado desde que começou a compilar essa série de dados em 2011. O quadro geral mascarou um declínio ainda mais acentuado em setores sensíveis ao comércio, como têxteis e produtos químicos.

O estrategista do Deutsche Bank (DE:DBKGn), Ulrich Stephan, disse que o aumento de quarta-feira nos rendimentos de títulos e ações cíclicas era "um desenvolvimento que pode facilmente continuar".

Por volta das 8h20, todos os principais mercados da Europa estavam em queda. O midcap FTSE 250 se destacava com um ganho de 0,2% depois que uma pesquisa de opinião prevendo uma maioria para o Partido Conservador na eleição do próximo mês elevou as ações principalmente voltadas para o mercado interno do índice. Entre os FTSE 100, os gestores de ativos St. James Place (LON:SJP) e Hargreaves Lansdown (LON:HRGV) lideravam os ganhos, antecipando um grande aumento na confiança dos investidores no Reino Unido no próximo ano.

O FTSE 100 internacional sofreu devido ao aumento crescente da libra esterlina. O pior golpe de todos foi a Vodafone (LON:VOD), depois que a Suprema Corte indiana decidiu que a empresa de telefonia deveria pagar US$ 3,9 bilhões a mais em taxas ao governo. A decisão dificultará a sobrevivência da Vodafone e de seus concorrentes na Índia sem ajuda do governo.