IPCA
0.75 Mar.2019
Topo

Azul deixa de ter voos no aeroporto da Pampulha, em BH, a partir de abril

Divulgação
Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

2016-02-17T13:02:24

2016-02-17T18:24:13

17/02/2016 13h02Atualizada em 17/02/2016 18h24

A companhia aérea Azul informou, nesta quarta-feira (17), que vai deixar de ter voos de e para o Aeroporto Carlos Drummond de Andrade (Pampulha), em Belo Horizonte, a partir de 4 de abril.

O motivo, segundo a empresa, é o "cenário econômico desafiador observado atualmente no Brasil", que tem reduzido a procura por voos nacionais. 

A companhia aérea informou que tem interesse em retomar a operação no aeroporto de Belo Horizonte caso seja viável economicamente e que continuará avaliando a situação do mercado.

A Azul continuará operando cerca de 80 voos diários para mais de 40 destinos a partir do Aeroporto Internacional Tancredo Neves (Confins), em Confins, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Passageiros realocados

Os clientes que adquiriram passagens para viajar depois de 4 de abril serão reacomodados em outros voos da companhia, usando o aeroporto de Confins, ou receberão de volta o valor pago, na íntegra, de acordo com a empresa. 

Os funcionários que atuam na Pampulha terão a opção de serem transferidos para outras cidades servidas pela Azul.

A companhia afirmou, ainda, que as operações de manutenção no hangar da empresa localizado no aeroporto continuarão normalmente.

Empresa representa 60% dos voos da Pampulha, diz Infraero

A Azul diz que conta, atualmente, com dois voos diários para São Paulo (Campinas) e mais dois para o Rio de Janeiro (Santos Dumont) no terminal da Pampulha.

A Infraero, que administra o aeroporto da Pampulha, informa, no entanto, que a companhia faz 12 operações diárias (entre pousos e decolagens) durante a semana no terminal. Aos sábados são mais duas operações e quatro no domingo. 

A administradora do aeroporto afirmou, ainda, que a Azul é responsável por 60% dos voos regulares no terminal da Pampulha.

Veja como é voar nos novos aviões da Esquadrilha da Fumaça

UOL Notícias

Mais Economia