Empresa gaúcha famosa por faca e panela vende até lenha e jipe; sabe qual?

Thâmara Kaoru

Colaboração para o UOL, em São Paulo

Mais conhecida por produzir facas e panelas, a gaúcha Tramontina vende muito mais que isso. As opções incluem lenha ecológica, jipe, cortador de grama, micro-ondas, moedor de café, tábua de passar roupa, piscina infantil, cinzeiro e tomada.

Há utensílios e equipamentos para cozinha, eletroportáteis, móveis de madeira ou plástico, materiais elétricos e ferramentas para agricultura ou jardinagem, construção civil, manutenção industrial e automotiva.

A marca nasceu em 1911, quando o filho de italianos Valentin Tramontina chegou à cidade de Carlos Barbosa (RS) e abriu a ferraria Tramontina --na época, uma pequena oficina, em um terreno alugado, onde começou produzindo canivetes e facas.

Hoje, a empresa tem dez fábricas no país --oito no Rio Grande do Sul, uma no Pará e outra em Pernambuco--, emprega 8.000 colaboradores e exporta para mais de 120 países.

De tesoura de R$ 7,60 a jipe de R$ 50 mil

Entre os produtos mais baratos produzidos pela empresa estão as tesouras escolares, que custam a partir de R$ 7,61.

Por outro lado, um dos itens mais caros é o jipe Venture 4X4. O veículo tem velocidade máxima de 40 km/h e tanque para 26,5 litros de gasolina. Custa a partir de R$ 49.900.

Na lista dos itens inusitados está a lenha ecológica. Conhecida como briquete, ela é produzida com serragem de madeira reflorestada e gerada no processo de usinagem de cabos para ferramentas. Segundo a marca, essa lenha gera até quatro vezes mais calor do que a madeira, e serve para lareiras, churrasqueiras e até pizzarias.

A empresa também fabrica sousplat (uma espécie de prato de diâmetro maior, usado para decorar a mesa e proteger a toalha) em aço inoxidável decorado com cristais Swarovski, que custa a partir de R$ 190,43, e composteira de plástico, que serve para juntar resíduos orgânicos e fabricar adubo.

Diversificação radical

A maior parte das empresas focadas em um único produto consegue retornos financeiros superiores àquelas que oferecem vários tipos de peças, mostram pesquisas internacionais, segundo João Francisco Aguiar, professor de mercado financeiro e de administração de empresas da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Porém, as empresas que têm diversidade e conseguem fazer uma boa administração acabam garantindo um bom retorno também, diz ele.

O cuidado deve ser evitar uma "diversificação radical", mas Aguiar diz que não é o caso da Tramontina: apesar da grande quantidade de itens produzidos, ele afirma que todos estão ligados ao consumo doméstico e, portanto, dentro um mesmo segmento.

A empresa diz que optou pela diversidade para atender às necessidades de cada cliente e que, apesar da variedade de produtos, não deixa de ser especialista nos itens que faz. De todo modo, a Tramontina reconhece que a maior parte dos consumidores não sabe que ela fabrica mais do que panelas e talheres, e diz que esse é um desafio constante em sua comunicação.

Japoneses usam cadeiras que andam sozinhas em filas

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos