Bolsas

Câmbio

Três a cada 10 pessoas vendem vale-refeição, diz pesquisa; prática é ilegal

Colaboração para o UOL, em São Paulo

  • Folha Imagem

Três a cada dez trabalhadores brasileiros admitem que vendem ou já venderam, mesmo que ocasionalmente, o vale-refeição ou vale-alimentação concedidos pelas empresas onde trabalham, segundo pesquisa divulgada nesta quinta-feira (22).

Essa prática é ilegal e pode levar a demissão por justa causa ou até ser considerada crime de estelionato. O benefício deve ser usado exclusivamente para o trabalhador alimentar-se em restaurantes ou fazer compras de supermercado. 

Leia também:

A pesquisa foi feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) em todas as capitais brasileiras. A coleta de dados foi feita em novembro do ano passado, mas o resultado só foi divulgado agora.

Motivo: complementar renda e fazer compras

Entre os entrevistados, 14,5% disseram que frequentemente vendem ou negociam o vale-refeição ou vale-alimentação. Outros 44,3% dos entrevistados declararam nunca ter feito isso, e 25,9% disseram não receber nenhum dos benefícios.

Entre os que vendem ou negociam os benefícios, os principais motivos apontados foi: complementar a renda (29,3%), "fazer compras no dia a dia" (25%), pagar contas ou dívidas (22,5%) e poupar o dinheiro que ganham com a prática (21,6%).

7 dicas para economizar o vale-refeição

De acordo com a pesquisa, 16,7% dos consumidores extrapolam com frequência o valor do benefício e chegam ao final do mês com o cartão zerado. Veja dicas do SPC Brasil para economizar:

1. Veja qual o limite do seu vale-refeição e faça o controle do valor diariamente.

2. Evite usar o vale-refeição para pagar jantares, bares e compras no mercado.

3. Em restaurantes por quilo, coloque a comida no centro do prato, sem utilizar as bordas. Como o prato em geral é grande, você acaba pegando mais comida do que sua fome.

4. Evite comprar bebidas e sobremesas nos restaurantes, que, em geral, são mais caras.

5. Na hora do almoço, caminhe um pouco mais para procurar outras opções de restaurantes que sejam bons e baratos, fora dos centros comerciais.

6. Prefira restaurantes que têm programas de fidelidade. Eles dão brindes ou descontos após um determinado número de refeições naquele local.

7. Procure almoçar em horários alternativos. Alguns restaurantes por quilo oferecem desconto fora do horário de pico.

Veja dicas de como prolongar o vale-refeição

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos