Bolsas

Câmbio

Perdeu plano de saúde? Seguro dá desconto de 5% a 60% em consulta e exame

Colaboração para o UOL, em São Paulo

  • iStock

Mais de 1 milhão de pessoas ficaram sem plano de saúde no Brasil nos últimos dois anos, em decorrência da crise econômica e do desemprego. Os dados são da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). De olho nesse público, a startup digital de seguros TôGarantido, em parceria com a seguradora Chubb, lançou um serviço virtual de descontos em serviços médicos.

Por meio de pacotes de seguros com cobertura de acidentes pessoais, internação, doenças graves e auxílio funeral, os clientes ganham descontos de 5% a 60% em consultas, exames e remédios. O programa dá acesso apenas aos médicos, laboratórios e farmácias credenciados na base da startup de saúde Vida Class.

Também há indenização em caso de morte do segurado.

Leia também:

A rede conveniada da Vida Class tem em sua base 6.000 médicos, mais de 10 mil laboratórios e 22 mil farmácias nas principais capitais brasileiras.

"Nosso público inicial é o que perdeu o plano de saúde e está buscando alternativas mais acessíveis, mas não quer ir para o Sistema Único de Saúde (SUS). Sabemos que o mercado potencial é muito grande", afirma o CEO da TôGarantido, Felipe Cunha.

Planos

A contratação do seguro é 100% digital, em três modalidades de planos:

Família Saudável - auxílio-funeral para o titular e dependentes e indenização por morte acidental (R$ 50 mil). Preço: R$ 39,90 por mês.

Família Saudável Plus - auxílio-funeral para o titular e dependentes, indenização diária de R$ 150 no caso de internação do titular (para compensar perda de renda) e indenização por morte acidental (R$ 100 mil). Preço: R$ 59,90 por mês.

Família Saudável Premium - auxílio-funeral para o titular e dependentes, indenização diária de R$ 150 no caso de internação do titular, indenização de R$ 5.000 para o segurado no caso de doenças graves e indenização por morte acidental (R$ 150 mil). Preço: R$ 79,90 por mês.

Condições

Tanto a adesão ao plano quanto o agendamento das consultas são feitos inteiramente on-line.

O usuário acessa o site, coloca a especialidade e região desejados e a página apresenta as opções com nome do médico, preço original e preço com desconto. O cliente seleciona um deles e é gerado um voucher que deve ser apresentado no dia da consulta/exame/internação.

O pagamento é feito pelo próprio site, com cartão ou boleto bancário. Se o cliente for direto ao hospital ou laboratório, sem passar por esse processo, não haverá desconto.

O valor a ser pago, depois de aplicado o desconto, pode ser parcelado em até 12 vezes sem juros no cartão de crédito.

Idosos com mais de 65 anos de idade estão fora da cobertura de acidentes pessoais, mas podem contratar os demais serviços, com os mesmos percentuais de desconto, de acordo com a empresa.

Os seguros são válidos apenas para titulares. As assistências médicas e funerárias, no entanto, comportam como dependentes o cônjuge e dois filhos de até 21 anos.

Como surgiu

Para definir o modelo de serviço, Cunha afirma que a empresa desenvolveu workshops no Jardim Ângela, bairro do extremo Sul de São Paulo, para identificar o comportamento de compras on-line do consumidor.

"Queríamos entender como dar uma maior confiança para vender a esse público de baixa renda e quais tipos de serviço poderíamos oferecer para dar um valor agregado a esse seguro", explica.

De acordo com ele, o público analisado apresentou afinidade com os meios digitais, mas resistência quanto à contratação de serviços financeiros e seguros pela internet. "As pessoas não compram seguro, pois é algo que se paga para não usar. O que queremos é justamente inverter a lógica: possibilitar o uso para atividades relevantes para eles e para a família. Existe uma demanda reprimida muito grande."

Não é plano de saúde, nem clínica popular

A crise econômica tem modificado o cenário da saúde brasileira. No final do ano passado, a ANS emitiu um parecer dando sinal verde para a criação de planos de saúde populares. Também nos últimos anos, as cidades foram tomadas por clínicas de saúde com preços mais baixos, direcionados as classes C e D, tentando suprir a demanda que existe entre os planos tradicionais e o SUS.

Cartões e planos de desconto, como a TôGarantido, no entanto, não se enquadram em nenhuma das duas opções.

A ANS alerta sobre os cuidados necessários ao aderir a esse tipo de plano. Um programa de descontos não garante, por exemplo, acesso ilimitado a serviços prestados por planos de saúde.

O órgão regulador frisa, ainda, que operadoras de plano de saúde não podem oferecer cartões ou serviços de desconto dessa natureza. A ANS orienta que, se a prática for identificada, deve ser denunciada. Para mais informações, acesse a cartilha completa.

Dados em perigo

Recentemente, o Instituto de Defesa do Consumidor (Idec) analisou seis aplicativos de agendamento de consultas on-line (Doctoralia, BoaConsulta, Docway, Dokter, Doutor Já e Saúde Já) e identificou a fragilidade no sigilo dos dados dos usuários. Na visão do órgão, como o Brasil não possui uma lei específica de proteção aos dados dos usuários na internet, fica difícil controlar o que as empresas farão com as informações dos clientes.

Entre os aplicativos analisados pela pesquisa, o Idec identificou uso de informações pessoais para geração de propagandas personalizadas e ofertas de cartões de saúde, por exemplo.

Onde encontrar:

TôGarantido  - https://www.togarantido.com.br/

(Reportagem: Paulo Gratão; edição: Armando Pereira Filho)

Pesquisa aponta que quase 70% dos brasileiros não têm plano de saúde

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos