PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Itaú entra no mercado de maquininhas de cartão para pequenos negócios

Téo Takar

Do UOL, em São Paulo

17/07/2018 11h57

O Itaú Unibanco decidiu entrar no segmento de maquininhas de cartão voltadas para pequenos lojistas, microempreendedores e prestadores autônomos de serviços. A partir desta sexta-feira (20), o banco lançará campanha nacional na mídia com a cantora Ivete Sangalo para promover a Credicard Pop, nova marca de adquirência do banco.

O banco oferecerá três tipos de máquinas de cartão sem aluguel. O primeiro modelo a ser lançado será a Pop Credicard, máquina com sinal via chip de celular e wifi, mas sem bobina de papel, que será vendida ao lojista em 12 parcelas de R$ 29,90.

A lista inclui ainda a Mega Pop Credicard, que terá bobina de papel, e a Mini Pop Credicard, que precisa ser usada junto com um celular. O banco ainda não definiu os valores de vendas para esses dois últimos modelos.

Com a entrada no segmento de máquinas para microempreendedores e autônomos, o Itaú passará a concorrer diretamente com empresas como PagSeguro, do UOL. Até então, o Itaú utilizava a marca Rede para atuar no segmento de máquinas de cartões, mas os pequenos empreendedores não faziam parte do público-alvo da empresa.

Segundo Marcos Magalhães, diretor-executivo do Itaú, apenas 20% do potencial desse segmento está sendo explorado pelos atuais participantes do mercado. "Nossa intenção é colocar de 100 mil a 150 mil maquininhas no mercado nos próximos meses", afirmou. A previsão é capturar cerca de R$ 1 bilhão em operações.

O executivo disse que a principal diferença da Pop Credicard em relação à concorrência será a forma de pagamento aos lojistas. "Só haverá opção para pagamento em um ou dois dias".

Normalmente, os pagamentos são feitos em 30 dias. Quando o lojista deseja receber em prazo menor, solicita a antecipação de recebível, mediante desconto de uma taxa sobre o valor da venda.

No caso da Pop Credicard, as taxas já estarão embutidas no produto. O banco descontará 1,99% nas vendas feitas no cartão de débito e 3,98% no cartão de crédito à vista.