ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Como se faz

Veja como são fabricados produtos do seu dia a dia

Cozida a vapor e com carne moída: veja como se faz comida de gato em sachê

Thâmara Kaoru

Do UOL, em São Paulo

02/09/2018 04h00

Para agradar gatos e oferecer uma comida diferente das rações secas, donos têm a opção de comprar os sachês de alimentos úmidos.

O UOL visitou a fábrica da Mars (dona da marca Whiskas), em Mogi Mirim (SP), para saber como é fabricado o sachê. Considerando apenas o processo de produção, sem as análises laboratoriais, o sachê demora cerca de quatro horas para ficar pronto. Veja imagens do processo no álbum acima.

Leia também:

Carnes chegam congeladas em blocos de 25 quilos

A produção dos sachês para gatos começa com o recebimento de carnes bovinas, suínas, de frango e de peixe. Elas chegam à fábrica de Mogi Mirim em blocos congelados de 25 quilos e são armazenados em uma câmara fria. Segundo a empresa, entre as carnes estão fígado, coração e baço.

Essa carne passa por duas moagens. Na primeira, para quebrar o bloco congelado em pedaços menores e, na segunda, para ficar com aspecto parecido com as de carnes moídas vendidas em açougues.

Cada tipo de carne fica em um compartimento diferente. A depender da receita a ser produzida no dia, o sistema indica quais carnes devem ser utilizadas e as envia para o misturador. Um tipo de sachê pode ter mais de uma carne em sua composição. 

Além das carnes, outros ingredientes como miúdos de aves são utilizados, mas passam por um processo de moagem e pesagem antes de ir ao misturador. É nesse momento que são acrescentados também outros ingredientes em pó, como farinha de trigo, plasma (componente do sangue) de porco, sais minerais e vitaminas. Também entram no misturador água e óleo.

Pedaços de carne são cozidos a vapor

Essa mistura passa por uma máquina, que funciona como um liquidificador gigante. Os ingredientes viram uma massa, que sai em formato de longas tiras cilíndricas e segue numa esteira até o forno, onde são cozidos a vapor.

Na mesma esteira, num ponto após o forno, passam por um processo de resfriamento, com uma espécie de ventilador. Depois, a carne é cortada em pedaços. Esses pedaços são levados até uma balança para, depois, ir para a embalagem.

As embalagens dos sachês são importadas da Alemanha, mas montadas na própria fábrica da Mars. Os funcionários selam as embalagens e as levam para a linha de envase. É lá onde as carnes e o molho, preparado separadamente, são colocados dentro da embalagem.

Sachês passam por esterilização

Os sachês já embalados são colocados em carrinhos e enviados para uma máquina que tem a função de esterilizar o produto. A máquina funciona como uma panela de pressão, e os sachês ficam nesse processo por cerca de uma hora. Ao saírem da máquina, os carrinhos são desmontados, e os sachês estão prontos para serem embalados para venda.

Uma amostra de cada lote de produção é colhida e levada ao laboratório que fica na própria Mars. Eles verificam se o produto está nos padrões da marca. Com o processo de produção e as análises laboratoriais, os sachês demoram cerca de 24 horas para serem liberados para comercialização.

A fábrica da Mars de Mogi Mirim tem 850 funcionários e, além de Whiskas, são fabricados produtos da Pedigree, Optimum, Champ, Kitekat e Dreamies. São rações secas, alimentos úmidos e petiscos para gatos e cachorros.

Gato gordo ou doente não pode comer só sachê

Para Mário Marcondes, diretor clínico do Hospital Veterinário, Petshop e Hotel Sena Madureira, os sachês úmidos oferecem uma refeição completa. “É um alimento saudável e seguro. Os donos podem dar apenas os sachês se o gato se adaptar, pois tem o mesmo tipo de balanceamento energético de uma ração seca.”

O veterinário disse que o alimento úmido pode ajudar os gatos que não ingerem muito líquido. “Acontece de alguns gatos não beberem muita água. Para esses animais ou para aqueles com problemas urinários, o alimento úmido pode ser uma saída, pois tem um teor alto de água.”

Marcondes afirmou que os donos devem seguir as quantidades sugeridas na embalagem. “Tem de seguir a quantidade sugerida para evitar a obesidade. Mas, nesses alimentos, o controle da quantidade é mais fácil. A dica é escolher uma boa marca, que o veterinário pode indicar, para que o animal receba uma dieta balanceada.”

Para Carla Berl, diretora da rede de hospitais veterinários Pet Care, gatos saudáveis até podem comer apenas os sachês, mas os donos de gatos doentes ou obesos devem ter atenção ao dar esse tipo de alimento. “O gato é obeso ou está doente? Para alguns deles, não pode dar. Tem de avaliar cada animal para saber qual a dieta mais apropriada.”

Veja como é feito o M&M's

UOL Notícias

Mais Como se faz