Topo

Quer pagar conta de luz conforme horário de uso? Veja se vale a pena

Getty Images
Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

14/01/2019 04h00

Neste ano, casas e pequenos estabelecimentos comerciais que consomem a partir de 250 kWh (quilowatts-hora) de energia por mês podem optar pela tarifa branca na conta de luz. Isso significa que preço da energia elétrica varia de acordo com a hora do dia. O modelo existe desde 2018, mas era só para consumidores a partir de 500 kWh por mês.

Nem sempre a tarifa branca é vantajosa. Dependendo do padrão de consumo da casa, ela pode fazer a conta de luz ficar mais cara. 

Na conta de luz regular, o preço da energia é o mesmo em qualquer dia e horário. Na tarifa branca, a energia é mais cara em horários de pico, como o começo da noite. Os valores também são diferentes em dias úteis e finais de semana e feriados. 

A partir de 2020, a opção estará disponível para todos. 

Vantajosa para quem estuda ou trabalha à noite

Para decidir se vale a pena aderir à tarifa branca, é preciso avaliar com cuidado seus hábitos de consumo de energia elétrica.

Por exemplo: em que horários sua família usa os aparelhos que mais consomem energia, como chuveiro elétrico, ar condicionado e ferro de passar roupa? Se for no horário de pico da sua região, não vale a pena optar pela tarifa branca. Agora, se for fora do horário de pico, ela pode ser uma boa opção.

A Proteste (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor) recomenda a tarifa branca para quem estuda ou trabalha à noite, já que a casa fica vazia no horário em que a energia é mais cara.

Escolha errada pode fazer conta de luz subir

A tarifa é desvantajosa para famílias que passam o dia fora e ficam em casa à noite, por exemplo. Se o consumidor fizer a opção errada, a conta pode acabar subindo significativamente, segundo a Proteste.

Uma dica da entidade é testar, durante um mês, uma adaptação a uma rotina de menos uso de energia nos horários de pico, antes de aderir à tarifa branca. Se a adaptação não fluir bem, melhor permanecer com a forma de cobrança convencional.

Quem não pode aderir?

A tarifa branca não está disponível para pessoas de baixa renda que já pagam uma tarifa menor nem para grandes consumidores, que fazem parte de uma rede de energia diferente, de média e alta tensão. 

Como faço para aderir à tarifa branca?

Procure a concessionária de energia da sua região (Enel, a antiga Eletropaulo, Light, CPFL, Cemig, entre outras) por telefone ou em um posto de atendimento. A empresa terá 30 dias para instalar na sua casa, gratuitamente, um aparelho que mede o consumo nos diferentes horários.

Posso voltar atrás?

Sim, pode, mas só depois de 30 dias. Procure a empresa e informe que quer voltar à conta de luz convencional. Agora, se mudar de ideia mais uma vez e quiser adotar novamente a tarifa branca, precisará esperar mais 180 dias.

Dicas para economizar energia

UOL Notícias

Mais Economia