IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Mídia e Marketing


Campanha da Natura mostra beijo lésbico e gera polêmica nas redes sociais

Campanha de Natura conta a história de três casais - Reprodução
Campanha de Natura conta a história de três casais Imagem: Reprodução

Renato Pezzotti

Colaboração para o UOL, em São Paulo

14/05/2019 13h42

A Natura apostou na diversidade sexual para apresentar sua nova linha de maquiagem, "Coleção do Amor". Publicações no Instagram e um vídeo no YouTube contam a história de três casais não tradicionais, com uma mulher transgênero, por exemplo.

Os beijos lésbicos mostrados no vídeo geraram polêmica, e a empresa foi parar nos "trending topics" do Twitter.

Confira o vídeo da campanha:

Reações à campanha fizeram a hashtag #BoicoteNatura aparecer no topo dos assuntos mais comentados no Twitter na manhã de hoje (14). Internautas que não gostaram da campanha criaram a hashtag, mas ela também foi usada, de forma irônica, por quem apoiou a iniciativa.


Como é comum, a polêmica envolveu a política:

Apoio à causa LGBT

A Natura se manifestou sobre a repercussão da campanha, dizendo que acredita no valor da diversidade. "Isso está expresso em nossas crenças há mais de vinte anos, em nossas campanhas publicitárias, projetos patrocinados e em nosso corpo de colaboradores", disse.

De acordo com a empresa, o lema da campanha, "No amor cabem todas as cores", reforça o apoio da marca à causa LGBT+, "incentivando o orgulho de ser quem é e amar quem quiser".

Marcas investem em questões contemporâneas

Iniciativas como a da Natura procuram evidenciar a importância das marcas no cotidiano das pessoas, segundo Eric Messa, coordenador do Núcleo de Inovação em Mídia Digital da FAAP-SP (Fundação Armando Álvares Penteado, de São Paulo).

"Muitas marcas passaram a investir grande parte dos seus esforços de comunicação em campanhas que tratam das questões contemporâneas. Assim, elas não só alcançam o consumidor, mas associam à marca um posicionamento frente a tais temas", declarou.

Ele afirmou que esse tipo de campanha gera debate porque hoje a sociedade tem mais acesso à informação e voz ativa nas redes sociais. Consequentemente, é mais critica em relação à propaganda.

"Além disso, não existem mais instituições sólidas que orientem a sociedade. Isso tem formado uma geração de jovens carentes de algo que possa lhes dar sentido à vida", disse.

Campanha contra o racismo

Na semana passada, voltou a circular nas redes sociais um comercial do Bradesco lançado em novembro de 2018, criado pela Publicis.

A propaganda fala sobre racismo e foi resgatada após o presidente Jair Bolsonaro afirmar, em uma entrevista, que o racismo "é uma coisa rara" no Brasil. Recentemente, o presidente também mandou suspender uma campanha do Banco do Brasil marcada pela diversidade.

Para Messa, é normal o ressurgimento de campanhas antigas que abordaram certos temas.

"Na medida em que a própria sociedade discute temas contemporâneos, ela pode, eventualmente, resgatar filmes publicitários. Com isso, [eles] repercutem mais vezes nas redes, de forma espontânea", afirmou.

Equilíbrio vida pessoal x profissional é relativo, diz WeWork

UOL Notícias

Mídia e Marketing