PUBLICIDADE
IPCA
0,25 Fev.2020
Topo

O Brasil é um país desenvolvido, como dizem os Estados Unidos?

Getty Images
Imagem: Getty Images

Lucas Borges Teixeira

Colaboração para o UOL, em São Paulo

12/02/2020 17h45

Apesar de os Estados Unidos terem retirado do Brasil o status de nação em desenvolvimento, os brasileiros continuam, na prática, vivendo em um país não desenvolvido.

De forma geral, o que define essas classificações são uma série de indicadores econômicos e sociais definidos por organismos multilaterais internacionais, como a ONU e o FMI. Qualquer que seja o conjunto de critérios considerado, o Brasil não é um país desenvolvido, dizem especialistas.

O Brasil claramente não deixou de estar muito atrás em IDH [Índice de Desenvolvimento Humano], renda per capita, taxa de industrialização, infraestrutura, entre outros fatores, em relação aos países em desenvolvimento. O país continua com seus problemas.
Margarida Gutierrez, professora de Economia da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro)

ONU

A ONU organiza as nações em três grupos: economias desenvolvidas, em transição e em desenvolvimento. O Brasil está no terceiro grupo.

Os países são distribuídos pelas categorias de acordo com um conjunto de critérios, que são:

  • Econômicos: crescimento do PIB (Produto Interno Bruto), renda per capita etc.
  • Produtivos: taxa de industrialização, exportação, avanço tecnológico, etc.
  • Sociais: taxa de desemprego, condições de trabalho, escolaridade etc.

Veja abaixo alguns desses critérios.

Economias desenvolvidas

São 36 países concentrados principalmente na Europa e na América do Norte, além de Japão e Oceania. Têm renda per capita anual média de US$ 46.600 (R$ 202,7 mil) e as exportações são concentradas em em bens manufaturados (52%) e serviços (29%).

Economias em transição

São 17 países concentrados nos estados independentes ao redor da Rússia, como Ucrânia e Cazaquistão (quase todos da ex-União Soviética) e nos Bálcãs, como Croácia, Sérvia e Montenegro. Têm renda per capita de US$ 7.100 por ano (R$ 30,9 mil). Sua estrutura de exportação está mais focada em energia (33%) e bens manufaturados (22%).

Economias em desenvolvimento

São 127 países da América Latina e Caribe, África, Oriente Médio e Ásia. A renda per capita anual é de apenas US$ 5.700 (R$ 24,8 mil) e a estrutura econômica varia, dada a amplitude e as diversidades geográfica e cultural dos países.

Na América Latina e Caribe, onde a renda per capita anual é mais alta, de US$ 12.000 (R$ 52,2 mil), a estrutura econômica é baseada em exportação de bens manufaturados (44%) e agronegócio (21%).

No Brasil, a renda per capita era de R$ 31,8 mil por ano em 2017, segundo os dados mais recentes, do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). As principais exportações em 2019, informou o ministério da Economia, foram de produtos básicos (52%) e manufaturados (34,5%).

FMI

O FMI divide as nações entre economias avançadas e em desenvolvimento. O Brasil está no segundo grupo.

Para a classificação, o fundo considera dados econômicos, como PIB e exportação, e sociais, fornecidos pelos próprios países e por blocos comerciais. Também considera estudos de organizações internacionais.

Economias avançadas

São 39 países que representam 41,3% do PIB global, 63,6% das exportações e apenas 14,4% da população. Entre eles estão Canadá, Japão, Estados Unidos e 19 membros da União Europeia.

Economias em desenvolvimento

São 155 países que representam 85,6% da população e 58,7% do PIB global, mas movimentam apenas 36,4% das exportações de bens e serviços. Entre eles estão Brasil, Argentina, China, Índia, México e Rússia.

OMC

É a única entidade que permite ao país escolher se quer se declarar desenvolvimento ou em desenvolvimento. Uma vez feita essa autodeclaração, ela não pode ser questionada pelos outros membros.

O status de país em desenvolvimento confere vantagens comerciais.

O Brasil continua com esse status na OMC, mas indicou que deve abrir mão de tratamento especial em negociações da OMC. "A mudança dos EUA não significa que outros países irão aderir à mesma classificação. Isto não afeta acordos vigentes, mas acordos futuros", informou o Itamaraty.

Banco Mundial

O Banco Mundial classifica os países em quatro categorias mais simples, referentes apenas à renda per capita anual da população. Não são considerados, por exemplo, indicadores sociais. O Brasil está na categoria de países com renda média-alta.

  • Renda anual baixa: inferior a US$ 1.026 (R$ 4.463) - 31 países, como Afeganistão, Haiti, Etiópia e Serra Leoa.
  • Renda anual média-baixa: entre US$ 1.026 (R$ 4,463) e US$ 3.995 (R$ 17,4 mil) - 47 países, como Bolívia, Egito, Índia e Ucrânia
  • Renda anual média-alta: entre US$ 3.996 (R$ 17,4 mil) e US$ 12.375 (R$ 53,8 mil) - 60 países, como Brasil, Argentina, Cuba e Rússia
  • Renda anual alta: superior a US$ 12.375 (R$ 53,8 mil) - 80 países, como Alemanha, Estados Unidos, França e Uruguai

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas.

Bolsonaro exalta Trump um dia após EUA desclassificar Brasil como emergente

Economia