IPCA
0,83 Abr.2024
Topo

Cancelado por coronavírus, SXSW poderia ter recorde de brasileiros

AP Photo/Jack Plunkett
Imagem: AP Photo/Jack Plunkett

Renato Pezzotti

Colaboração para o UOL, em São Paulo

06/03/2020 20h49

A edição deste ano South by Southwest (SXSW), um dos maiores eventos de inovação do mundo, acaba de ser cancelada por causa do temor ao coronavírus. A decisão acontece dois dias depois da organização ter reafirmado que todo o planejamento sobre o evento estava mantido.

A presença de executivos brasileiros no evento quebra recordes, ano após ano. Em 2019, foram mais de 1.600 brasileiros inscritos no festival, sendo a maior delegação estrangeira do evento. Agências de publicidade e empresas de tecnologia brasileiras já haviam programado uma série de apresentações e reuniões no evento. A expectativa era que tal número fosse superado este ano.

O festival aconteceria entre os dias 13 e 22 de março, na cidade de Austin, nos Estados Unidos. Segundo a nota oficial do evento, o cancelamento ocorreu devido a orientações da administração local: "A cidade de Austin cancelou as datas de março para o SXSW e o SXSW EDU. O SXSW seguirá fielmente as instruções da cidade". É a primeira vez em 34 anos que o evento não será realizado.

No ano passado, o evento atraiu mais de 410 mil visitantes de 106 países ao Texas, segundo os organizadores. O movimento financeiro gerado pelo evento pode ser estimado em mais de US$ 350 milhões.

O SXSW possui apresentações sobre inovação, tecnologia, educação e música, com executivos de agências de publicidade, anunciantes, empresas de internet, companhias de mídia e celebridades. Em tamanho, já pode ser considerado o maior do mundo com tais características.

A organização afirma estar "explorando opções para reagendar o evento e estamos trabalhando para fornecer uma experiência online virtual do SXSW o mais rápido possível para os participantes de 2020, começando com o SXSW EDU. Para nossos delegados, clientes e participantes, entraremos em contato o mais breve possível e publicaremos um FAQ".

Apenas nesta semana, algumas das maiores empresas que estariam no SXSW haviam cancelado suas participações. Twitter, Facebook, Apple, Netflix, IBM, Intel, TikTok, Vevo, e WarnerMedia anunciaram que não participariam do festival deste ano. Músicos como Trent Reznor e Ozzy Osbourne também havia declarado planos de cancelar aparições na área de música do festival.

Temor cancela eventos em todos os setores

O coronavírus tem afetado uma série de evento de negócios e tecnologia. Na semana passada, o Facebook cancelou sua conferência anual de desenvolvedores, o "F8". Segundo a empresa, o cancelamento aconteceu "a fim de priorizar a saúde e a segurança de nossos parceiros desenvolvedores, funcionários e todos os que ajudam a colocar o F8 em pé". O encontro, que seria realizado em maio, será substituído por "eventos locais, vídeos e conteúdos transmitidos ao vivo".

No final de fevereiro, a cidade de Barcelona (Espanha) receberia a 14ª edição do Mobile World Congress (MWC), com cerca de 100 mil pessoas, de mais de 100 países. A organização cancelou o evento, citando a "preocupação global com o surto de coronavírus, a preocupação com viagens e outras circunstâncias".

A nota de cancelamento do MWC também citou o "respeito ao ambiente seguro e saudável de Barcelona e do país anfitrião". Na data, mais de uma dezena de empresas, como Amazon, Ericsson, Facebook, Intel, LG e Sony, já haviam informado que cancelariam sua presença em Barcelona. O prejuízo pode ultrapassar US$ 500 milhões.

Nesta semana, os organizadores do festival global de criatividade Dubai Lynx anunciaram o adiamento da premiação. O festival aconteceria entre 8 e 11 de março.

A doença também tem afetado a indústria do entretenimento, que já cancelou eventos, adiou lançamentos e mudou seu calendário. Só no cinema, a perda já superou US$ 5 bilhões.

A MIPTV, principal evento internacional do mercado televisivo e de conteúdo e que reúne exibidores do mundo todo, não vai ter sua edição 2020. O evento estava marcado para acontecer entre os dias 30 de março a 2 de abril, na cidade de Cannes, no sul de França.

Na quarta (4), os estúdios MGM e Universal anunciaram que a epidemia mundial motivou uma mudança na estreia do próximo filme de James Bond, 007 - Sem Tempo para Morrer. Antes prevista para 9 de abril, a chegada do longa será em novembro.

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.

Podcasts são programas de áudio que podem ser ouvidos a qualquer hora e lugar —no computador, smartphone ou em outro aparelho com conexão à internet. Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts e em todas as plataformas de distribuição. Você pode ouvir Mídia e Marketing, por exemplo, no Spotify, na Apple Podcasts e no YouTube.