PUBLICIDADE
IPCA
-0,38 Mai.2020
Topo

Governo recomenda a aéreas remarcar passagens sem custo; o que elas dizem?

Sinenkiy/Getty Images/iStockphoto
Imagem: Sinenkiy/Getty Images/iStockphoto

Do UOL, em São Paulo

16/03/2020 17h53Atualizada em 19/03/2020 16h23

A Senacon (Secretaria Nacional do Consumidor), órgão federal ligado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, recomendou no último sábado (14) que os brasileiros possam remarcar, sem custos adicionais, viagens turísticas previstas para os próximos 60 dias, devido à pandemia de coronavírus.

A remarcação é recomendada para passagens, hospedagens e pacotes adquiridos junto a empresas que fazem negócios no país, segundo a nota oficial. O UOL questionou as companhias aéreas Azul, Gol e Latam sobre quais seriam as medidas adotadas, diante da recomendação. Veja o que elas disseram.

Azul

A companhia disse, em nota, que "está disponibilizando opções de remarcação de voos com origem ou destino em Lisboa ou Porto, América do Sul e Estados Unidos". Segundo a empresa, "a medida vale para clientes com passagens adquiridas para voos em março".

As opções são:

  • Alteração da viagem, sem custo adicional, podendo adiar o voo para até 30 de junho de 2020;
  • Cancelamento da viagem, deixando o valor como crédito para outros voos com a Azul, sem a aplicação de taxas por esse cancelamento

Além disso, a Azul informa que está disponibilizando a opção de reembolso integral da passagem para clientes com conexão em Lisboa ou Porto e que têm como destino ou origem a Itália.

Clientes com voos domésticos da Azul até 31 de maio de 2020 também podem:

  • Alterar a viagem, sem taxas, mas com a cobrança da diferença tarifária, podendo mudar o voo para até 31 de maio de 2020;
  • Cancelar a viagem, deixando o valor como crédito para outros voos com a Azul, sem a aplicação de taxas por esse cancelamento;
  • Solicitar o reembolso da passagem de acordo com as taxas.

Gol

A Gol afirmou que "está em contato com todos os clientes afetados para remanejar suas viagens, sem custos adicionais". De acordo com a empresa, as orientações para voos nacionais e internacionais marcados para até 14 de maio de 2020, são:

  • Cancelamento e crédito: o cliente poderá cancelar sua viagem e manter o valor em crédito para voos futuros. O valor estará disponível integralmente por um ano, a contar da data da compra;
  • Remarcação: poderá remarcar a viagem para qualquer período dentro de 330 dias, a contar da data da compra. A taxa de remarcação não será cobrada, apenas a diferença entre as tarifas, se houver;
  • Cancelamento e reembolso: se optar por cancelar viagens e solicitar reembolso, não haverá taxa de cancelamento. Contudo, a taxa de reembolso poderá ser cobrada, dependendo da regra da tarifa escolhida.

Caso o cliente queira comprar uma passagem, essas políticas de cancelamento e remarcação serão aplicadas para voos até 14 de maio de 2020.

Latam

A Latam afirmou que "está oferecendo flexibilidade aos seus passageiros para reprogramarem seus voos conforme as políticas comerciais especiais disponíveis no seguinte link".

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas.

Airbus Beluga XL: avião conhecido como "baleia voadora" começa a operar

UOL Economia

Economia