PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Onyx: as três parcelas do auxílio de R$ 600 serão garantidas para todos

Do UOL, em São Paulo

07/05/2020 17h37

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, garantiu hoje, em coletiva de imprensa, que as três parcelas do auxílio emergencial de R$ 600 devido à pandemia do novo coronavírus serão garantidas para todos os que se enquadrarem nos requisitos da medida.

"Nós estaremos concluindo o pagamento da primeira parcela até o início da próxima semana. Quem eventualmente teve qualquer problema e não recebeu, fique tranquilo. Determinação do presidente e da lei é que as três parcelas estão garantidas para todos", disse o ministro.

O auxílio está previsto para ser pago em três parcelas, não obrigatoriamente em abril, maio e junho a todos. Segundo o governo, mesmo quem não recebeu a primeira parcela e se enquadra nos pré-requisitos do auxílio poderá receber as três parcelas em meses subsequentes. Por exemplo, maio, junho e julho, e assim por diante.

"Tanto o aplicativo quanto site e agências ficarão disponíveis até o dia 2 de julho, conforme determina a lei. Então se uma pessoa se cadastrar no dia 2 de julho, e ela for considerada elegível, ela vai receber as três parcelas das quais ela tem direito", completou o ministro, na coletiva.

Após dizer que a segunda parcela do auxílio emergencial de R$ 600 começaria a ser paga nesta semana, Onyx afirmou hoje mais cedo que o pagamento sairá na próxima semana, e o anúncio do cronograma deve ser feito até amanhã.

Apesar de o governo planejar o pagamento da segunda parcela, nem todas as pessoas elegíveis receberam a primeira. Ainda há relatos de problemas de acesso ao aplicativo criado para cadastros, aceitação de CPFs e filas em agências da Caixa Econômica Federal, responsável pela operacionalização do sistema.

Ontem, o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, prometeu que o pagamento do segundo lote dos R$ 600 de auxílio emergencial para a pandemia do coronavírus será "mais eficiente".

"O segundo lote será feito de maneira muito mais eficiente, porque já temos a base das pessoas que receberão [os pagamentos]. Uma parte relevante do que a gente estava pagando eram pessoas que a gente ia montando dentro da base de dados. E, para não esperar um mês para começar a pagar, fomos pagando as pessoas sendo analisadas", afirmou.