PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Pesquisa de preços de medicamentos do Procon aponta diferença de até 41%

Variação de preços chegou a 41% - SnowMannn/iStock
Variação de preços chegou a 41% Imagem: SnowMannn/iStock

Do UOL, em São Paulo

23/06/2020 17h08

Uma pesquisa comparou o preço de 17 medicamentos de referência nos dias 31 de março e 4 de maio, em seis estabelecimentos online, e encontrou uma disparidade no valor que chegava a 41% nos produtos.

O estudo foi realizado pelo Núcleo de Inteligência e Pesquisas da Escola de Proteção e Defesa do Consumidor do Procon-SP e constatou quatro aumentos de preços e seis reduções. Os medicamentos genéricos não entraram na pesquisa.

Na comparação entre farmácias diferentes, as mudanças de preço são mais visíveis. Em março, um cliente que precisasse comprar o Luftal (simeticona - 75mg/ml - solução oral - 15ml) pagaria R$ 17,71 em uma farmácia e R$ 25,01 em outra. Uma variação de 41% ou R$ 7,30.

Dois meses depois, o mesmo remédio estava custando R$ 17,71 em um estabelecimento e R$ 24,90 em outro. O Procon-SP não divulga a identidade das empresas concorrentes.

Já as compras nas mesmas farmácias tiveram uma variação menor. É o caso da Novalgina (500 mg/ml - gotas 10ml), que teve acréscimo de 26,26% na Onofre. Em março, o medicamento custava R$ 9,94 e foi para R$ 12,55 em maio. O mesmo remédio teve aumento de 20% na Pague Menos. Lá o remédio custava R$ 8,25 e passou para R$ 9,90.

Contudo, alguns medicamentos também tiveram queda no preço nesse período. É o caso dos remédios Luftal (75 mg/ml - sol. oral - 15ml), Postan (500 mg - 24 comprimidos) e Daonil (5 mg - 30 comprimidos) que tiveram uma queda de, respectivamente, 10,83%, 6,78% e 6,46% na Drogaria SP.

Na Ultrafarma também houve queda de 9,47% no preço da Nisulid (100 mg - 12 comprimidos) e uma variação de 0,44% no preço do Luftal (75 mg/ml - sol. oral - 15ml).

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) é responsável por aprovar anualmente o índice de reajuste de preços de medicamento e estabelecer uma lista de preços máximos (PMC) permitidos para a venda de medicamentos, que é atualizada mensalmente.

O PMC é o valor máximo que os medicamentos podem ser vendidos ao consumidor final, preços superiores são irregulares. Os descontos podem acontecer livremente.