PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Ramos anuncia prorrogação do coronavoucher no Twitter e depois apaga post

3.abr.2020 - O ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos (foto), anunciou prorrogação do coronavoucher no Twitter, mas apagou o post depois - Frederico Brasil/Futura Press/Estadão Conteúdo
3.abr.2020 - O ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos (foto), anunciou prorrogação do coronavoucher no Twitter, mas apagou o post depois Imagem: Frederico Brasil/Futura Press/Estadão Conteúdo

Hanrrikson de Andrade

Do UOL, em Brasília

25/06/2020 09h02Atualizada em 25/06/2020 09h20

O ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, anunciou hoje, pelo Twitter, que o governo pagaria parcelas adicionais do auxílio emergencial criado para atender trabalhados afetados pela pandemia do coronavírus. No entanto, pouco depois, a postagem foi apagada.

De acordo com o texto publicado inicialmente por Ramos, o Ministério da Cidadania depositaria mais três parcelas: uma de R$ 500, a segunda de R$ 400 e, por fim, outra de R$ 300. A proposta teria um custo de R$ 229,5 bilhões para os cofres da União.

Segundo a secretaria de governo, o tuíte foi publicado por engano e que o assunto ainda está em discussão.

O ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, anunciou pelo Twitter, que o governo pagaria parcelas adicionais do auxílio emergencial. No entanto, pouco depois, a postagem foi apagada - Reprodução/Twitter - Reprodução/Twitter
O ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, anunciou pelo Twitter, que o governo pagaria parcelas adicionais do auxílio emergencial. No entanto, pouco depois, a postagem foi apagada
Imagem: Reprodução/Twitter

O auxílio emergencial pagou inicialmente três parcelas de R$ 600, com prioridade para trabalhadores informais, desempregados e a população cadastrada em programas sociais.

O objetivo do socorro financeiro é atingir as pessoas com maior dificuldade de angariar renda em meio à pandemia da covid-19, que levou à necessidade de isolamento social e paralisação das atividades econômicas.