PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Crédito de R$ 12 bi para microempresas chega aos bancos em 15 de agosto

Segunda leva de crédito para as micro e pequenas empresas deve chegar no dia 15 - Getty Images/EyeEm
Segunda leva de crédito para as micro e pequenas empresas deve chegar no dia 15 Imagem: Getty Images/EyeEm

Do UOL, em São Paulo

30/07/2020 08h22

O crédito emergencial de R$ 12 bilhões de reais do Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte) deve começar a chegar aos bancos em 15 de agosto. A informação foi confirmada pela subsecretária de Desenvolvimento de Micro e Pequenas Empresas, Empreendedorismo e Artesanato do Ministério da Economia, Antônia Tallarida, em entrevista ao jornal O Globo.

"A nossa meta é que até 15 de agosto já esteja nos bancos", disse a subsecretária, que alertou sobre a possibilidade de esse crédito adicional durar ainda menos do que a primeira leva. "A nossa expectativa, pelo que a gente tem conversado com os bancos, é que esses R$ 12 bilhões vão talvez mais rápido do que os R$ 15,9 bilhões", declarou.

"Os bancos também aprenderam a operar o Pronampe, colocaram operações digitais de pé e algumas instituições financeiras que ficaram de fora podem entrar. A gente não vai conseguir chegar até novembro com esse recurso", afirmou.

Para Antônia, o dinheiro de socorro às micro e pequenas empresas demorou a chegar, mas não foi por negligência da equipe do Ministério da Economia. "A gente teve um atraso para fazer o capital de giro chegar na ponta. Não foi má vontade, foi uma questão circunstancial. Estávamos entendendo quais eram os melhores incentivos que a gente precisava dar para o sistema financeiro fazer o crédito chegar na ponta", explicou.

A previsão da subsecretária é de que não haja um prolongamento da crise econômica. Mas, se houver, o ministério continuará disponibilizando crédito. "Tudo indica que não vamos ter um cenário de uma crise continuada, mas claro que se isso se prolongar, vamos ter que reajustar a rota", declarou.

"Mas estamos muito mais otimistas nesse sentido que a retomada vai ser uma retomada forte e que a gente vai voltar ao longo aos patamares anteriores à crise logo."

A subsecretária afirmou que ainda faltam alguns processos para que o crédito seja liberado na data planejada — o que inclui a sanção da lei pela Casa Civil e a aprovação do Conselho de Participação dos bancos.