PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Genebra terá salário mínimo de quase R$ 25 mil por mês

Fila à espera da distribuição de comida em Genebra, na Suíça - Jamil Chade/UOL
Fila à espera da distribuição de comida em Genebra, na Suíça Imagem: Jamil Chade/UOL

Colaboração para o UOL

Em Lençóis (BA)

01/10/2020 16h29Atualizada em 02/10/2020 11h41

Com mais de 30.000 pessoas afetadas financeiramente por conta do novo coronavírus, a população de Genebra, na Suíça, aprovou um projeto apoiado pelos sindicatos locais para a implementação de um salário mínimo de quase R$ 25 mil.

Mais de 58% dos eleitores locais votou a favor do projeto que determina o pagamento de 23 francos suíços (cerca de R$ 141) por hora, o que corresponde a 4.086 francos suíços (R$ 24.945, pela cotação de hoje) por mês.

De acordo com os sindicatos locais, não é possível viver com dignidade em Genebra [uma das cidades mais caras do mundo] com um salário menor do que este. O aluguel de um apartamento com dois quartos custa em média 3.000 francos (mais de R$ 18 mil) e um café custa 5 francos (R$ 30).

Entre os setores mais afetados de Genebra por conta da pandemia do novo coronavírus, estão hotelaria, restauração, limpeza, economia doméstica, cabeleireiro, estética e varejo.

Segundo o jornal suíço Arcinfo, o Conselho de Estado, que não foi favorável a este salário mínimo, vai reunir os parceiros sociais para discutir a sua implementação "que não será fácil", disse Mauro Poggia, chefe do departamento de emprego.

Terceira tentativa

Esta é a terceira vez que os habitantes de Genebra se pronunciam sobre a implementação de um salário mínimo. A população havia votado "não" em 2011 a um projeto local e rejeitado em 2014 uma iniciativa dos sindicatos em nível federal. A crise econômica e de saúde mudou a situação.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do publicado na matéria, o salário mínimo proposto é de 4.086 francos suíços (quase R$ 25 mil), e não 3.772 francos suíços (cerca de R$ 23 mil).