PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

9 dicas para aproveitar descontos sem cair em roubada na Black Friday

Hygino Vasconcellos

Colaboração para o UOL, em Porto Alegre (RS)

27/11/2020 04h00

A Black Friday pode induzir a compras em excesso e sem muito cuidado. Mas seguir algumas dicas simples pode garantir economia, descontos e evitar armadilhas.

O UOL ouviu especialistas em economia e tecnologia para verificar como aproveitar a data sem passar por perrengues. Devido à pandemia do coronavírus, as compras presenciais devem perder terreno para as lojas virtuais e, por isso, a atenção precisa ser redobrada.

1) Não compre em qualquer lugar

O professor da Escola Politécnica da PUC-RS (Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul) Avelino Zorzo diz que, quando estamos na rua, não entramos em qualquer loja que pareça estranha. No ambiente virtual, devemos tomar o mesmo cuidado.

Desconfie de sites pouco conhecidos com ofertas tentadoras. A recomendação do professor é verificar a reputação da empresa nos sites: Reclame Aqui e Proteste, entre outros.

Analisar reclamações de outras pessoas dá uma ideia de como a empresa procede em situações como entrega efetiva da compra, devolução de produtos e atrasos no envio.

2) Observe o cadeado de segurança do site

Na barra da url (o endereço do site) observe a presença do cadeado de segurança. A marcação serve para mostrar que as informações como senhas ou números de cartão de crédito permanecem privadas quando colocadas nestes sites.

Porém, o ícone só mostra que a página acessada possui um certificado de segurança. O cadeado indica que o conteúdo da página e os dados que nela serão inseridos 'viajaram' de forma segura entre o servidor web, onde está o site, e o seu computador. Porém, ele é incapaz de garantir que o destino seja realmente seguro.

Por isso, considere mais aspectos. Entre eles, usar um computador confiável e não fazer compras em equipamentos públicos ou de lan houses. Outra recomendação é verificar se o site ao qual se está consultando o produto é de fato da loja, segundo o professor da PUC-RS.

3) Ative o disparo de SMS do banco

O uso de SMS praticamente caiu em desuso, mas ativar o sistema de aviso de compras pelo SMS pelo banco pode ajudar a identificar compras indevidas, em caso de clonagem do cartão de crédito.

Normalmente, os criminosos fazem inicialmente pequenas compras, muitas vezes de R$ 2 a R$ 5 no cartão. A ideia é verificar se o cliente está atento. Em seguida, compras maiores são feitas. Neste momento, as operadoras de cartão acabam intervindo e recusando a aquisição até a confirmação do correntista. Mas nem sempre isso acontece.

4) Não clique em links de ofertas

Muitos anúncios chegam nesta época por email, WhatsApp, redes sociais e SMS. Em muitas vezes, os criminosos encaminham mensagens persuasivas, com grandes ofertas. Eles também se passam por uma empresa conhecida. "O link parece que é um lugar, mas acaba sendo de outro", disse o professor da PUC-RS.

Se for uma fraude, ao clicar no link, é instalado um vírus no celular ou computador, que passa a copiar informações bancárias —como senhas, número de cartões, entre outras coisas.

A recomendação é procurar no Google o nome da empresa e ir direto ao site verdadeiro.

5) Pergunte-se: preciso disso?

Antes de sair às compras, é preciso avaliar a necessidade do produto. "O ano todo tem promoção. A ideia é comprar o que precisa e quando precisa. Eu sempre indico para as pessoas se questionarem: será que preciso disso?", afirmou o economista e especialista em finanças pessoas Everton Lopes. Isso evita comprar por impulso.

6) Pesquise muito

Quando há promoção, as pessoas acabam comprando coisas que desejam há algum tempo, mas é preciso pesquisar se o preço vale a pena mesmo, disse Everton Lopes. "Hoje a comparação de valores está mais fácil: há diversos sites que fazem isso."

"É interessante acompanhar o valor do produto durante o ano para identificar se a promoção na Black Friday é realmente vantajosa", afirmou o executivo de finanças André Aragão.

7) Desconfie do barato demais

Preços muito baixos podem ser um indicativo de golpe. Por isso, é preciso estar atento à loja que está oferecendo o produto.

8) À vista ou a prazo?

Compras à vista costumam garantir desconto e não comprometem o orçamento por tanto tempo. Entretanto, nada adianta pagar à vista se usar o limite do cheque especial. É preciso planejadar as finanças para evitar surpresas.

9) Veja quanto do orçamento será comprometido

Antes de comprar, analise o impacto no orçamento e quanto será comprometido todos os meses —em caso de compras parceladas. "Não existe um valor definido, mas é preciso pensar que, além das contas fixas, terá mais esse valor todos os meses. Caso comprometa outros pagamentos, a pessoa está se autodestruindo financeiramente", declarou Lopes.

Para o próximo ano, o economista recomenda ao consumidor a reserva mensal de um valor determinado para "mimos pessoais". Se guardar R$ 100 por mês, terá uma boa reserva no próximo ano.

Se você quer ter indicação de produtos e ver algumas das ofertas desta Black Friday, veja mais na área de itens recomendados pelo UOL para compra.