PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

Sacolas plásticas ficam mais caras no RJ após alta do dólar

Nova sacola plástica em supermercado  - Davi Ribeiro - 2.abr.2015/Folhapress
Nova sacola plástica em supermercado Imagem: Davi Ribeiro - 2.abr.2015/Folhapress

Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

22/03/2021 18h28

A sacola plástica distribuída em supermercados do Rio vai ficar mais cara até o fim deste mês. O custo, que variava entre R$ 0,06 e R$ 0,07, passa a ser de cerca de R$ 0,10.

Segundo a Asserj (Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro), um dos fatores que impactou o reajuste foi a alta no custo da matéria-prima usada na fabricação, que é derivada do petróleo, e sofre grande influência devido à variação do dólar.

Além disso, outros pontos que também influenciaram no processo são: a redução da produção do composto da matéria-prima, a paralisação do parque industrial dos Estados Unidos, a falta de contêiner na China para importar a matéria-prima e o aumento do preço do frete para transporte.

De acordo com o presidente da Asserj, Fábio Queiróz, as redes de supermercados estão cumprindo com a determinação e orientação de vender os itens a preço de custo. "Como o preço da produção é vinculado ao dólar e a moeda brasileira está desvalorizada, essa diferença cambial que o produtor paga a mais é repassada para o valor final nos estabelecimentos que utilizam as sacolas, como os supermercados. É importante reforçar que os supermercadistas não se beneficiam deste lucro. Passamos apenas o preço que chega até nós. O que está ocorrendo nesse momento vai além do nosso alcance", afirma.

Em vigor desde julho de 2019, a Lei das sacolas plásticas determina que supermercados de grande porte disponibilizem a preço de custo apenas sacolas produzidas com mais de 51% de fontes renováveis. A Asserj informou que, desde a sanção, cerca de dois bilhões de sacolas foram retiradas do meio ambiente.

PUBLICIDADE