PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Sindicato acusa Correios de esconder surto de covid no Paraná; empresa nega

Kevin David /Agência O Globo
Imagem: Kevin David /Agência O Globo

Giulia Fontes

Do UOL, em São Paulo

18/06/2021 16h23

O Sintcom-PR (Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Comunicações Postais, Telegráficas e Similares do Paraná) afirma que os Correios estão escondendo um surto de covid-19 no Centro Internacional de Cargas que fica em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, no Paraná. De acordo com a entidade, a empresa não está monitorando os casos entre funcionários da unidade.

A Secretaria de Saúde da prefeitura de Pinhais afirmou, em nota, ter identificado um surto de covid-19 no local no final de maio, com 77 casos confirmados entre os funcionários desde então. O órgão apontou que os Correios adotaram medidas para conter a disseminação do vírus.

Em nota ao UOL, os Correios no Paraná afirmaram que as informações do sindicato não procedem, e que a entidade dissemina "notícias infundadas, que geram preocupação desnecessária à população".

Funcionários vão trabalhar contaminados, diz sindicato

De acordo com o sindicato, 540 dos 660 funcionários do Centro são terceirizados. Adaílton Cardoso, conhecido como Dadau, secretário-geral do Sintcom-PR, afirma que os empregados vão ao trabalho mesmo sabendo que estão infectados porque, se não forem, têm o salário descontado ainda que apresentem atestado.

Os Correios escondem o número de pessoas infectadas. Eles não estão monitorando [os casos] e as pessoas acabam indo para não perder o salário.
Dadau

No Centro, que tem 20 mil metros quadrados, os Correios fazem a triagem de encomendas que chegam do exterior. Nas redes sociais, funcionários denunciaram a falta de condições de higiene, como banheiros sem água disponível.

Uma funcionária afirma que há aglomerações nos setores, com pouco álcool em gel disponível e falta d'água. Outro comenta que o local de trabalho é "precário".

Secretaria de Saúde de Pinhais diz acompanhar o caso

Procurada pelo UOL, a Secretaria de Saúde da prefeitura de Pinhais informou que, no final de maio, após denúncias, enviou uma equipe da Vigilância Sanitária até o Centro dos Correios. Na ocasião, foram identificados oito casos de covid. A empresa foi autuada para que fornecesse máscaras cirúrgicas ou do modelo PFF2 aos funcionários.

Depois, com a confirmação de mais três casos, a Secretaria concluiu que a transmissão provavelmente ocorreu no ambiente de trabalho, o que caracteriza um surto. Com isso, o órgão recomendou novas medidas para conter a disseminação do vírus, como o reforço das ações de prevenção e a melhoria na higiene dos banheiros.

Segundo a Secretaria, a Vigilância Sanitária pediu que a empresa revise o plano de contingência contra a covid-19, e segue acompanhando a situação no local. Na quarta-feira (16), de acordo com a Secretaria, havia 15 casos ativos de covid-19 entre os funcionários, além de três casos suspeitos, totalizando 77 casos desde o final de maio.

O que dizem os Correios

Em nota, os Correios afirmaram que as informações do sindicato não procedem, e que estão acompanhando a situação de saúde dos funcionários, "prestando o apoio necessário e atuando para garantir o bom funcionamento das atividades operacionais".

Segundo a empresa, o Centro localizado em Pinhais tem medidas de segurança contra a disseminação da covid-19, como a medição da temperatura dos profissionais, a reorganização das estações de trabalho para que haja distanciamento social e a realização de exames.

Sobre o número de casos, os Correios afirmaram que "compartilham informações sobre empregados somente com as autoridades competentes".