PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

Ex-BBB perdeu R$ 150 mil após ter celular roubado; como se proteger

Íris Stefanelli afirmou que perdeu R$ 150 mil com o golpe - Reprodução/Instagram
Íris Stefanelli afirmou que perdeu R$ 150 mil com o golpe Imagem: Reprodução/Instagram

Do UOL, em São Paulo

21/09/2021 12h28

Depois que teve seu celular roubado, Íris Stefanelli amargou um grande prejuízo. Os assaltantes entraram em suas contas bancárias pelo smartphone e fizeram saques e transferências.

A atriz e apresentadora, que já participou dos reality shows BBB e No Limite, afirmou que perdeu R$ 150 mil com o golpe e está até no cheque especial em algumas contas. "Até a conta da minha mãe da aposentadoria dela foi limpa", disse, em seu Instagram.

Ela disse que passou em delegacias para registrar o caso e entrou em contato com bancos para bloquear o acesso do celular aos aplicativos, mas que o estrago já foi grande.

É possível se proteger depois de ter o celular roubado e adicionar medidas de segurança nos aplicativos de bancos. Veja abaixo as dicas de Marcelo Chiavassa, professor de direito digital da Universidade Presbiteriana Mackenzie de Campinas (SP).

Coloque senha no aparelho

Antes de mais nada, coloque senha numérica no aparelho celular. Nos modelos novos, em que há biometria e reconhecimento facial, ative também esses recursos, disse Chiavassa.

"O ladrão até pode descobrir, de alguma forma, a senha numérica. Mas se estiver longe da vítima, ele não conseguirá a digital ou o rosto dela", disse.

Também é importante ativar a biometria e o reconhecimento facial nos próprios aplicativos bancários.

Não deixe senhas no bloco de notas do celular

Jamais deixe senhas importantes, como a do aplicativo do banco e a do cartão, gravadas no bloco de notas, por exemplo.

"Você não deixa as senhas do cartão de crédito e da conta bancária anotadas em um papel na sua carteira, certo? A regra é a mesma para os celulares, que hoje são carteiras digitais", disse Chiavassa.

Fui roubado, o que fazer?

Se o aparelho tiver aplicativos bancários instalados e cartões de crédito cadastrados em aplicativos que permitem fazer compras, como Apple Pay e Google Pay, a primeira recomendação é ligar para os bancos e bloquear os cartões.

Logo depois, disse o especialista, é essencial fazer um boletim de ocorrência o mais rápido possível.

Desative o preenchimento automático de senhas

Alguns smartphones permitem que, ao usar uma senha para acessar um aplicativo, o celular salve essa senha. Assim, na próxima vez que você tentar entrar no aplicativo, o próprio celular preencherá automaticamente a senha. Se um ladrão conseguir desbloquear o celular, portanto, poderá ter acesso às senhas salvas.

No caso do iPhone, por exemplo, se o autopreenchimento estiver ativado, o ladrão pode acessar as configurações do aparelho e visualizar as senhas salvas de sites e aplicativos.

"Uma dica de segurança para evitar o acesso a esses dados é desativar a opção de autopreenchimento. Para fazer isso em aparelhos da Apple, por exemplo, basta entrar em 'Ajustes', depois em 'Senhas e Contas' e desmarcar a opção 'Preencher Senhas'", disse Chiavassa.

No caso de celulares com sistema operacional Android, o autopreenchimento ocorre apenas no navegador. Para remover essa possibilidade, segundo o suporte do Google, basta acessar o navegador, clicar em "Configurações" e desmarcar a opção "Preenchimento automático de pagamentos".

Ative a "autodestruição de dados" do celular

Celulares Android e iOS também têm configurações que permitem bloquear ou mesmo destruir todos os dados do aparelho roubado ou perdido.

Para apagar dados do iPhone, por exemplo, basta entrar no iCloud Find, inserir os dados, encontrar o dispositivo que foi roubado e escolher a opção "apagar remotamente".

No caso de aparelhos com Android, o processo é semelhante. É só acessar o Find My Device e clicar em "limpar dispositivo".

Bloqueie os aplicativos bancários instalados no celular

Outra sugestão de segurança é checar se seu banco oferece a opção de bloquear os aplicativos bancários no aparelho roubado. Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, por exemplo, oferecem essa possibilidade.

No BB, basta acessar o site do banco, entrar em Menu Completo, Segurança, Autorização/Bloqueio para transações Smartphone e Tablet e remover o aparelho.

Na Caixa, é só acessar a conta, clicar em Senhas e Configurações, depois em Dispositivos Cadastrados, e então selecionar o dispositivo roubado ou perdido e excluí-lo.

PUBLICIDADE