PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

Aneel afirma que aumento na conta de luz em 2022 ainda é hipotético

Documentos internos da agência mostraram que técnicos preveem aumento superior a 20% na conta de luz em 2022 - Getty Images/iStock
Documentos internos da agência mostraram que técnicos preveem aumento superior a 20% na conta de luz em 2022 Imagem: Getty Images/iStock

Do UOL*, em São Paulo

12/11/2021 21h18

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) rebateu hoje as reportagens publicadas sobre o aumento da conta de luz em 2022 e disse que ainda são "estimativas preliminares".

Uma reportagem publicada mais cedo pelo jornal O Estado de S. Paulo, com base em um documento interno da agência, mostrou que os técnicos preveem um reajuste superior a 20% na conta de luz no ano que vem.

"As informações veiculadas em reportagens publicadas nesta sexta-feira sobre aumento na conta de luz em 2022 correspondem a estimativas preliminares baseadas em cenários hipotéticos que ainda não consideram as medidas de atenuação tarifárias que serão implementadas em 2022", diz o comunicado da agência.

A Aneel diz ainda que o país vive a pior crise hídrica em 91 anos, e que, para compensar o baixo nível dos reservatórios, tem utilizado todos os recursos de oferta de energia disponíveis, inclusive "medidas excepcionais" para assegurar o suprimento de energia no país.

Em 2021, o aumento acumulado neste ano foi de 7,04%. Ou seja, essa alta projetada para o ano que vem seria quase o triplo.

Leia a nota da Aneel na íntegra:

A Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL esclarece que as informações veiculadas em reportagens publicadas nesta sexta-feira (12/11) sobre aumento na conta de luz em 2022 correspondem a estimativas preliminares baseadas em cenários hipotéticos que ainda não consideram as medidas de atenuação tarifárias que serão implementadas em 2022.

O Brasil no último período úmido registrou o pior regime de chuvas dos últimos 91 anos. Em razão desse cenário adverso, para compensar o baixo nível dos reservatórios com a falta de chuva, têm sido utilizados todos os recursos de oferta de energia disponíveis e foram tomadas medidas excepcionais para assegurar o suprimento de energia no País.

A ANEEL salienta que, no exercício de sua competência legal de regular o setor elétrico brasileiro, em observância às políticas públicas emanadas do Ministério de Minas e Energia - MME, tem envidado esforços para atenuar os impactos da escassez hídrica nos processos tarifários de 2022, a exemplo de todos os esforços que foram empreendidos nos anos de 2020 e 2021 e que permitiram que os impactos da pandemia no aumento das tarifas fossem significativamente reduzidos, em prol de toda a sociedade brasileira e da sustentabilidade do setor elétrico.

*Com Estadão Conteúdo

PUBLICIDADE