IPCA
0,83 Mai.2024
Topo

Carne, cerveja e pãozinho ficarão mais caros com a guerra Rússia x Ucrânia

Churrasquinho caro: aumento de custos para produtores causado pela guerra chega ao consumidor  - iStock
Churrasquinho caro: aumento de custos para produtores causado pela guerra chega ao consumidor Imagem: iStock

Vinicius Silva

Colaboração para o UOL, de São Paulo

25/03/2022 04h00

A guerra entre Rússia e Ucrânia ameaça diretamente o bolso (e a alegria) dos brasileiros. O aumento do preço de commodities usadas em larga escala, como petróleo e trigo, deve impactar os preços de produtos que os brasileiros adoram, como a carne, a cerveja e o pãozinho.

"Petróleo, gás natural, fertilizante e trigo foram os primeiros a serem impactados. Só que esses quatro produtos acabam afetando uma vasta cadeia. A alta atinge fertilizantes, o que impacta soja, milho, ração e proteína animal (principalmente porcos, leite e ovos)", disse Roberto Dumas, professor do Insper e especialista em economia internacional. O UOL conversou com especialistas e listou alguns dos produtos cotidianos dos brasileiros para entender o impacto da guerra nos preços. Confira:

Cerveja

Cerveja - Monica Di Loxley/Unsplash - Monica Di Loxley/Unsplash
Impacto econômico da guerra pode afetar o preço da cerveja
Imagem: Monica Di Loxley/Unsplash

A guerra já afetou a importação de algumas matérias básicas para o setor cervejeiro, como o trigo e a cevada, de acordo com Paulo Petroni, presidente da CervBrasil (Associação Brasileira da Indústria da Cerveja) dado que Rússia e Ucrânia são grandes exportadoras de trigo e cevada e devem reduzir o ritmo de produção.

"O prolongamento da guerra, com a redução das exportações de Rússia e Ucrânia, além da problemática de logística, vai trazer problemas e encarecimento das matérias-primas da cerveja", disse.

Segundo ele, outros custos, como a alta da energia e do combustível, também devem pressionar os preços. "O que já sentimos, de uma maneira muito forte, é a questão do custo da energia, tanto da elétrica, como do gás. Subiu muito."

Como a distribuição é feita por caminhões, o aumento do combustível também pesa bastante no preço final, afirmou.

Churrasco

Churrasco - Owen Franken/Getty Images - Owen Franken/Getty Images
Carne tostadinha de churrasco pode ficar mais distante do bolso do brasileiro com os efeitos da guerra
Imagem: Owen Franken/Getty Images

Outro item que o brasileiro adora e que também deverá sofrer pressões inflacionárias por causa do conflito é a carne do churrasco. Segundo a ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal), o milho e a soja, que representam mais de 70% do custo total de produção, acumulavam altas superiores a 100% nos últimos meses, e agora enfrentam o reflexo do conflito no leste europeu.

"Os produtores têm sentido o peso das dificuldades impostas, e vários estão trabalhando no vermelho. Alguns relatam a diminuição da capacidade de produção frente aos elevados custos da agroindústria", disse Ricardo Santin, presidente da ABPA.

"Com a forte alta nos custos de produção, já há repasse ao preço do produto para o consumidor final. Novos repasses poderão ocorrer com a continuidade da elevação dos custos", completou.

Pãozinho e doces

Pãozinho - iStock - iStock
Pão pode ter preço elevado por causa do impacto da guerra
Imagem: iStock

O pãozinho, doces, balas e chocolates também devem ter os preços em alta.

"A guerra deverá reduzir a oferta de trigo no mundo. Além disso, a Ucrânia exporta fertilizantes para o Brasil, o que deverá impactar a oferta de produtos agrícolas por aqui, fazendo com que o preço dos produtos e seus derivados aumente, como pão e massas", disse Johnny Mendes, professor de economia da Faap.

Segundo a Abicab (Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas), a falta dos grãos poderá impactar mais o setor em breve.

"A situação tem afetado principalmente a cadeia produtiva do amendoim, visto que 48% das exportações brasileiras do grão têm como destino Rússia e Ucrânia. Estamos acompanhando atentamente os desdobramentos do conflito e, paralelamente, estudando cenários e possíveis soluções para minimizar o impacto negativo no setor", afirmou, em nota,

Caviar e vodca

Apesar de não serem produtos populares, a vodca e o caviar são simbólicos da Rússia. As sanções impostas por países do Ocidente como forma de punição pela guerra ao país podem inflacionar os preços dos produtos, mas não devem reduzir o consumo por aqui.

"Vodca e caviar impactam na classe mais rica e ela não deixa de consumir isso, mesmo mais caro", disse Roberto Dumas, do Insper.

Gasolina

Gasolina - Twitter/Reprodução - Twitter/Reprodução
Memes envolvendo preço da gasolina foram compartilhados nas redes sociais
Imagem: Twitter/Reprodução

Talvez o maior impacto do conflito seja no preço do petróleo, que disparou e chegou a ser cotado a cerca de US$ 140 o barril, o que encareceu os combustíveis no Brasil. A alta deve encarecer não só os produtos em geral, que dependem do transporte rodoviário, mas também as viagens de fim de semana dos brasileiros.

Segundo Johnny Mendes, a alta generalizada causada pelo petróleo mais caro deve pressionar a inflação no Brasil.

"O Brasil tem como principal modal o transporte rodoviário e, com o aumento dos combustíveis, haverá elevação para basicamente todos os preços dos grupos que compõem o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que mede a inflação oficial", afirmou.