PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

Empregos e carreiras

País cria 277 mil empregos com carteira em maio, mas salário médio cai

Getty Images/iStockphoto/FG Trade
Imagem: Getty Images/iStockphoto/FG Trade

Do UOL, em São Paulo

28/06/2022 10h44

O Brasil abriu 277.018 empregos com carteira assinada em maio, segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgados hoje pelo Ministério do Trabalho e Previdência. O número é a diferença entre 1.960.960 contratações e 1.683.942 desligamentos registrados no mês.

Este é o segundo mês consecutivo de alta, mas o salário médio de admissão caiu. Em maio, o novo contratado recebeu em média R$ 1.898,02, uma redução de 0,94% em relação ao mês anterior.

O estoque, que é a quantidade total de vínculos ativos pela CLT, chegou a 41.729.858 vínculos, alta de 0,67% em relação ao estoque do mês anterior.

No acumulado de 2022, o saldo é de 1.051.503 empregos, decorrente de 9.693.109 admissões e de 8.641.606 desligamentos.

O Ministério também revisou para cima o saldo de abril, de 196.966 para 197.443 empregos.

Todos os setores tiveram saldo positivo

Todos os setores tiveram saldo positivo no mês, diz o governo federal. A área de serviços foi a que mais abriu postos, com 120.294 novos contratos.

Veja os resultados a seguir:

  • Serviços: 120.294 novas vagas;
  • Comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas: 47.557 novas vagas;
  • Indústria geral: 46.975 novas vagas;
  • Construção: 25.341 novas vagas;
  • Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura: 26.747 novas vagas.

Divisão por região

Na divisão pelas regiões brasileiras, as cinco apresentaram saldo positivo na geração de novas vagas, com a região Sudeste com o maior número de novas vagas, e a Centro-Oeste com o maior crescimento. Veja os resultados a seguir:

  • Sudeste (+147.846 postos, +0,69%);
  • Nordeste (+48.847 postos, +0,73%);
  • Centro-Oeste (+33.978 postos, +0,94%);
  • Sul (+25.585 postos, +0,33%);
  • Norte (+16.091 postos, +0,82%).

Salário médio cai

Segundo os dados divulgados hoje pelo governo, o salário médio de admissão em maio foi de R$ 1.898,02 no território nacional. Comparado ao mês anterior, houve decréscimo real de R$ 18,05, uma queda de 0,94%.

Quatro dos cinco setores registraram queda no salário. O único com variação positiva foi o da construção. Veja a seguir a variação relativa do salário médio por setor:

  • Construção: R$ 1.950,68 (+0,98%);
  • Comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas: R$ 1.645,35 (-0,47%);
  • Serviços: R$ 2.030,66 (-0,79%);
  • Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura: R$ 1.659,94 (-1,74%);
  • Indústria geral: R$ 1.934,51 (-1,81%);

Empregos e carreiras