IPCA
0,46 Jul.2024
Topo

Com morte de Elizabeth 2ª, Reino Unido gastará R$ 3,5 bi para mudar cédulas

Libras esterlinas vão mudar com a morte da rainha Elizabeth 2ª - Divulgação
Libras esterlinas vão mudar com a morte da rainha Elizabeth 2ª Imagem: Divulgação

Weudson Ribeiro

Colaboração para o UOL, em Brasília

09/09/2022 09h14Atualizada em 09/09/2022 16h01

Apesar da ascensão imediata do rei Charles 3º ao topo da família real britânica após a morte da rainha Elizabeth 2ª, o rosto da monarca vai aparecer por ao menos mais dois anos nas notas da libra esterlina (£), moeda oficial do Reino Unido mesmo antes de o país abandonar o bloco de nações que usam o euro.

A monarca tem a face estampada nas cédulas desde 1960. Para acompanhar a tradição e trocar todo o dinheiro em espécie por versões com o rosto do herdeiro do trono, o governo precisaria desembolsar o equivalente a R$ 3,5 bilhões, além submeter a alteração ao Palácio de Buckingham.

Libras esterlinas vão mudar após a morte da rainha Elizabeth 2ª? O dinheiro com a imagem de Elizabeth 2ª não será recolhido imediatamente. A possibilidade mais viável é que, se a Coroa Britânica permitir, a produção das cédulas seja descontinuada para darem lugar a notas com a face de Charles 3º impressa.

Ao UOL, o Banco Central da Inglaterra emitiu a seguinte nota:

"Como o primeiro monarca a aparecer nas notas do Banco da Inglaterra, os retratos icônicos da rainha são sinônimo de alguns dos trabalhos mais importantes que fazemos. As notas atuais com a imagem de Sua Majestade a Rainha continuarão a ter curso legal. Um novo anúncio sobre as notas existentes do Banco da Inglaterra será feito assim que o período de luto for cumprido", disse.

Há atualmente cerca de 4,5 bilhões de notas em circulação com o rosto de Elizabeth 2ª. O valor total do montante é de £ 80 bilhões.

Trocar todas as notas teria impacto bilionário

A cada dois anos, o Banco Central da Inglaterra emite cerca de 600 milhões de notas, com preço de produção de £ 78 milhões, ou seja £ 0,13 por cédula impressa. O custo para substituir todas as notas circulantes com a face de Elizabeth 2ª seria de £ 585 milhões, ou R$ 3,5 bilhões pela atual cotação.

Além disso, o Banco Central da Inglaterra retirará de circulação cédulas com valor total de £ 14,5 bilhões até 30 de setembro deste ano, a fim de substituir o papel-moeda em favor de cédulas de polímero. A transição fará da Grã-Bretanha a maior economia do mundo que usa só notas de plástico.

A nota com Churchill no verso foi introduzida em 13 de setembro de 2016, com uma tiragem inicial de 440 milhões de unidades (no valor de £ 2,2 bilhões), durante o período - Banco Central da Inglaterra - Banco Central da Inglaterra
A nota com Churchill no verso foi introduzida em setembro de 2016, com tiragem inicial de 440 milhões de notas (no valor de £ 2,2 bilhões)
Imagem: Banco Central da Inglaterra

Todas as notas de polímero já apresentam um retrato da rainha Elizabeth 2ª. A denominação de £ 5 foi a primeira a ser lançada e começou a circular em setembro de 2016. Winston Churchill, premiê do país durante a Segunda Guerra Mundial, estampa o verso.

A escritora Jane Austen é retratada atrás das notas de £ 10 de polímero. A de £ 20 traz um retrato do artista J.M.W. Turner. A nova nota de £ 50 mostra Alan Turing, um dos fundadores da ciência da computação e inteligência artificial que foi um decifrador de códigos durante a Segunda Guerra Mundial.

As notas que saem de circulação têm no verso imagens do economista Adam Smith e dos inventores industriais Matthew Boulton e James Watt.

Libras produzidas em países como Irlanda do Norte e Escócia têm ilustrações de figuras regionais. Nas notas escocesas, por exemplo, está o rosto de Sir Walter Scott, um importante escritor do país.

Há moedas com o rosto de Elizabeth em mais países? Sim. De acordo com o Guinness World Records, a imagem da rainha aparece na moeda de aos menos 33 países, como Canadá, Jamaica e Nova Zelândia. É provável que eles também mudem suas notas e moedas a depender da legislação local.

29 bilhões de moedas com o rosto da rainha

Todas as moedas do Reino Unido têm uma imagem da rainha de um lado. Cinco retratos da monarca apareceram nas peças metálicas desde que ela se tornou reinante. As mais recentes foram apresentadas em 2015. As primeiras moedas da era elisabetana foram emitidas em 1953, com o objetivo de representar um recomeço no Reino Unido após a Segunda Guerra Mundial.

Atualmente, existem aproximadamente 29 bilhões de moedas em circulação no Reino Unido.

O rosto da rainha Elizabeth 2ª aparece em todas as moedas em circulação no Reino Unido - Casa da Moeda Real do Reino Unido - Casa da Moeda Real do Reino Unido
O rosto da rainha Elizabeth 2ª aparece em todas as moedas em circulação no Reino Unido
Imagem: Casa da Moeda Real do Reino Unido

Segundo a Casa da Moeda Real, o custo de produção delas varia de acordo com cada denominação. O valor do metal em cada moeda responde por grande parte do custo total. Os valores do processo de fabricação também mudam de acordo com a complexidade da moeda.

Em nota ao UOL, a entidade não revelou quanto gasta para fabricar moedas: "Essas informações podem ser usadas para vantagem de concorrentes", justificou.

Como vai ficar a libra esterlina com o rosto do Charles 3º? Charles 3º aparecerá com rosto para a esquerda. É o que manda a tradição no país. Monarcas, desde o século 17, são representados na cunhagem (processo pelo qual as moedas passam para serem gravadas) voltados para a direção oposta à do antecessor imediato. A exceção foi reinado de Eduardo , que preferia o seu lado esquerdo. O costume foi restaurado com Jorge 6º, com a face voltada à esquerda, com a imagem de Eduardo no verso invertida para a direita.

O número exato de moedas de Eduardo 8º existentes é desconhecido, com a maioria tendo sido derretida pela Casa da Moeda Real após a abdicação do rei. - Casa da Moeda Real - Casa da Moeda Real
O número exato de moedas de Eduardo 8º existentes é desconhecido, com a maioria tendo sido derretida pela Casa da Moeda Real após a abdicação do rei
Imagem: Casa da Moeda Real

PUBLICIDADE
Errata: este conteúdo foi atualizado
Diferentemente do que a primeira versão desta reportagem informava, o Reino Unido gastará R$ 3,5 bi para mudar cédulas, e não R$ 354 bilhões. O custo de impressão é de £ 0,13 centavos em libras, e não £13, como havia informado a Embaixada Britânica no Brasil. A informação foi corrigida e o texto, alterado.