IPCA
0,46 Jun.2024
Topo

A 3 dias de Carnaval, Olinda proíbe venda da maioria das cervejas populares

Ambulantes cadastrados na Prefeitura de Olinda só poderão vender bebidas de marcas que patrocinam o Carnaval da cidade - MARCOS PORTO/ESTADÃO CONTEÚDO
Ambulantes cadastrados na Prefeitura de Olinda só poderão vender bebidas de marcas que patrocinam o Carnaval da cidade Imagem: MARCOS PORTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

14/02/2023 13h26Atualizada em 14/02/2023 15h14

A Prefeitura de Olinda (PE) distribuiu aos vendedores ambulantes um guia do que pode ou não ser comercializado no Carnaval deste ano. Olinda tem uma das maiores festas de rua do Brasil.

Estão liberadas as marcas que patrocinam o Carnaval de Olinda, como a Heineken (veja a lista abaixo). Segundo o advogado e vereador de Olinda Vini Castello (PT), os comerciantes foram avisados em cima da hora da proibição dos produtos, que ele classificou como "ilegal".

Hoje os comerciantes foram receber o crachá e tiveram que assinar um termo de responsabilidade que consta os produtos que estão permitidos. Muitos assinaram e estão agora desesperados. Não foram informados sobre as restrições.
Vereador de Olinda, Vini Castello (PT), nas redes sociais

Nas redes sociais, o vereador Castello diz que acionou o Ministério Público para reverter a medida. Procurada pelo UOL, a Prefeitura de Olinda diz que os comerciantes já estão cientes que só podem vender os produtos do patrocinador, assim como acontece em outras cidades do Brasil.

A lista é válida para vendedores do Sítio Histórico. Veja a lista de produtos liberados:

Bebidas alcoólicas:

  • Pitú
  • Devassa
  • Heineken

Bebidas não alcoólicas:

  • Monster
  • Schweppes
  • Crystal
  • Coca-cola
  • Fanta
  • Sprite
  • Kuat

Bebidas da marca Ambev, como Skol, Stella Artois, Pepsi e Guaraná, estão na lista de proibidas.

Leia a nota da Prefeitura de Olinda na íntegra:

"Já é de ciência dos comerciantes e ambulantes que comercializam durante o período do Carnaval de Olinda, que as cervejas e produtos derivados devem ser os produtos do patrocinador oficial da festa. Ou seja, assim como acontece nos carnavais de outras grandes cidades pelo Brasil, só é permitida a venda de produtos do patrocinador.

A medida é direcionada para os comerciantes e ambulantes que atuam no Sítio Histórico.

O patrocínio de empresas privadas para o Carnaval ajuda a preservar os cofres públicos e diminui o investimento municipal para a realização do evento.

Ciente de que a sociedade ainda sofre os efeitos da Pandemia e que alguns setores foram mais prejudicados do que outros, a Prefeitura de Olinda enviou para a Câmara, um Projeto de Lei para concessão de crédito popular. O PL será votado ainda nesta terça-feira (14)

Serão disponibilizados R$ 500,00 de empréstimo para os ambulantes cadastrados, que participaram do Carnaval em 2020 e que estão adimplentes com o município. A finalidade do empréstimo é a aquisição dos produtos que serão comercializados no Carnaval. Lembrando, ainda, que a Prefeitura de Olinda foi uma das poucas do país a conceder auxílio para os ambulantes, nos dois anos em que não houve Carnaval."