Transações por DOC serão encerradas nesta segunda-feira, após quase 40 anos

As transações por DOC (Documento de Ordem de Crédito) chegarão ao fim às 22h desta segunda-feira (15), após quase 40 anos de funcionamento. O encerramento da modalidade valerá tanto para pessoas físicas quanto para empresas.

O que vai acontecer

O agendamento de um DOC deve ser feito até 29 de fevereiro. Após essa data, o sistema será encerrado em definitivo. Também serão descontinuadas as operações de TEC (Transferência Especial de Crédito), exclusiva para empresas pagarem benefícios a funcionários.

Preço, funcionamento limitado e pouco prático ajudou a antecipar o fim. Lançado em 1985 pelo Banco Central, o DOC permite transações com o valor máximo de R$ 4.999,99, assim como a TEC. As instituições bancárias cobram tarifas do usuário que podem chegar até R$ 22. O dinheiro cai na conta apenas no dia seguinte, mas o prazo pode ser superior a um dia útil caso a transferência tenha sido feita após às 22h.

O DOC perdeu espaço para meios de pagamento como o Pix. A Febraban aponta que as transações bancárias por DOC no primeiro semestre de 2023 totalizaram 18,3 milhões, disparada a menos utilizada no país. No total, a opção representa somente 0,05% dos 37 bilhões de operações feitas no período.

Até os cheques superam o DOC, com 125 milhões de transferências. Na sequência, figuram TED, a Transferência Eletrônica Disponível (448 milhões), boleto (2,09 bilhões), cartão de crédito (8,4 bilhões) e cartão de débito (8,4 bilhões). O Pix, lançado em 2020, lidera a preferência: 17,6 bilhões, quase metade do total.

A TED, que tem o mesmo objetivo do DOC, ainda vale. A diferença é que a TED não tem limite de valor para transferência, além de cair mais rápido na conta, se a operação for feita até o horário limite do banco para emissão da ordem de transferência, geralmente às 17h. Após esse horário, o dinheiro cai no próximo dia útil.

Tanto a TEC quando o DOC deixaram de ser a primeira opção dos clientes e sua utilização vem caindo continuamente nos últimos anos. Os clientes têm dado preferência ao Pix, por ser gratuito, instantâneo e também pelo valor que pode ser transacionado.

Walter Faria, diretor adjunto de serviços da Febraban

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes