Bolsas

Câmbio

BC vê inflação estourando a meta em 2016 e reforça que não vai cortar juros tão cedo, mostra ata

BRASÍLIA, 26 Jul (Reuters) - O Banco Central vê a inflação fora da meta em 2016 e, para o próximo ano, no centro do objetivo dentro do cenário que considera a manutenção da taxa básica de juros em 14,25%, segundo ata do Copom (Comitê de Política Monetária) divulgada nesta terça-feira (26).

No documento, no qual reiterou não haver espaço para reduzir a Selic, o BC informou que a projeção para 2016 tanto pelo cenário de referência quanto pelo de mercado é de inflação em torno de 6,75% --acima da meta de 4,5% pelo IPCA, com margem de dois pontos percentuais.

"Para 2017, a desinflação até a meta ocorre sob as hipóteses do cenário de referência. Entretanto, no cenário de mercado, a desinflação ocorre em velocidade aquém da perseguida pelo Comitê", apontou a autoridade monetária.

Na semana passada, o BC manteve a Selic em 14,25% ao ano, patamar que segue desde julho de 2015, na primeira reunião do Copom sob o comando de Ilan Goldfajn.

(Por Marcela Ayres; Edição de Patrícia Duarte) 

Ações e títulos privados sem IR são apostas para 2º semestre, diz analista

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos