Chilena CMPC paralisa fábrica de celulose em Guaíba até novembro

SANTIAGO (Reuters) - O grupo florestal chileno CMPC disse nesta quinta-feira que estenderá a paralisação na fábrica de celulose Guaíba 2 até novembro deste ano, para ser submetida a reparos, deixando de produzir 400 mil toneladas de celulose.

A CMPC informou ao órgão regulador chileno que a paralisação da unidade, que em fevereiro também interrompeu sua operação, terá um efeito econômico de 200 milhões de dólares, ainda que os danos estejam cobertos por seguros.

Após a notícia, as ações da CMPC caíram 4,6 por cento, a 1.555 pesos, na Bolsa de Santiago.

(Por Antonio de la Jara e Felipe Iturrieta)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos