Bolsas

Câmbio

Ibovespa cai e vai abaixo dos 73 mil pontos por receios sobre reforma da Previdência

Por Flavia Bohone

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da bolsa paulista caiu nesta terça-feira e fechou abaixo dos 73 mil pontos pela primeira vez em dois meses, pressionado por receios de que o governo federal não consiga aprovar uma proposta de reforma da Previdência e o potencial impacto sobre o rating do Brasil.

O Ibovespa caiu 2,55 por cento, a 72.414 pontos, menor patamar de fechamento desde 5 de setembro (72.150 pontos). O volume financeiro somou 13,02 bilhões de reais.

Os receios de que a reforma da Previdência não avance voltaram a crescer após a reunião da véspera do presidente Michel Temer com líderes da base aliada na Câmara, na qual Temer reconheceu a possibilidade de derrota na apreciação do texto. Ao mesmo tempo, deixou a porta aberta para abrandamento adicional na proposta em direção a "um avanço que permita a quem vier depois fazer uma nova revisão".

"De ontem para hoje deu a entender que o Congresso não vai ter número para votar e as agências de classificação já avisaram sobre o risco de rebaixamento sem essa reforma. Com isso, gera um estresse nos mercados", disse o gerente de renda variável da H.Commcor Ari Santos.

Além da reação ao quadro político, a alta de mais de 20 por cento acumulada no ano até outubro, também abre espaço para um movimento de ajuste.

"Tem o fator político pontual de hoje, mas nas últimas semanas o mercado também vinha sinalizando uma tendência de realização", disse o analista da XP Investimentos Marco Saravalle, que ainda vê espaço, considerando os fundamentos das empresas, para alguma recuperação do índice até o fim do ano.

DESTAQUES

- SMILES ON caiu 5,38 por cento, em reação aos dados reportados para o terceiro trimestre que, segundo analistas do BTG Pactual, trouxe resultado sem direção clara. A administradora de programa de fidelidade teve lucro de 339,5 milhões de reais no período, com ganhos extraordinários oriundos de uma reestruturação societária impulsionando o resultado e ofuscando o efeito da queda em dados operacionais devido a maiores despesas. Em teleconferência, executivos da empresa previram estabilidade de margem e crescimento de dois dígitos na receita em 2018.

- PETROBRAS PN caiu 5,34 por cento e PETROBRAS ON perdeu 4,59 por cento, contaminado pelo mau humor predominante no mercado e em sessão negativa também para os preços do petróleo no mercado internacional.

- VALE ON recuou 2,39 por cento, após três pregões seguidos de ganhos, quando acumulou alta de 7 por cento. O movimento deste pregão vinha na contramão dos contratos do minério de ferro na China.

- USIMINAS PNA perdeu 8,68 por cento, GERDAU PN caiu 3,56 por cento e CSN ON teve desvalorização de 4,29 por cento, cedendo ao pessimismo que atingiu o mercado como um todo.

- ITAÚ UNIBANCO PN caiu 2,38 por cento e BRADESCO PN perdeu 3,05 por cento, ajudando a pressionar o índice devido ao peso desses papéis em sua composição.

- LOCALIZA ON subiu 5,35 por cento, liderando a ponta positiva do Ibovespa, após reportar resultado do terceiro trimestre, com lucro líquido ajustado recorde de 139,5 milhões de reais.

- ELETROBRAS ON avançou 2,41 por cento e ELETROBRAS PNB ganhou 1,29 por cento, ampliando o desempenho positivo da véspera, em meio à expectativa pelo avanço no processo de privatização.

Para ver as maiores baixas do Ibovespa, clique em

Para ver as maiores altas do Ibovespa, clique em

(Edição Alberto Alerigi Jr.)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos